2 a 4 Anos: Adaptação na Escolinha

Recebemos inúmeros comentários sobre a fase de 2 a 4 anos de crianças e procuramos organizá-los para facilitar a consulta para quem possa se interessar. Esses são aqueles relacionados à adaptação na escolinha.

É importante saber que o processo de socialização da criança só começa a partir dos 2 anos. Isto significa que não se pode esperar que a criança interaja com as outras, compartilhe  brinquedos, etc…. Muitas vezes, o que ocorre são tapas, mordidas, empurrões que erroneamente são vistos como agressão ou problema por parte da criança. Essa evolução varia entre crianças e algumas se socializam mais rápido do que outras. Exatamente, por isso, não é conveniente que crianças abaixo de 2 anos de idade já sejam levadas à escola.

O ideal é que a criança comece na escolinha depois dos 3 anos e, assim mesmo, só por meio período (4 horas), pois, pode dormir cerca de 2 horas à tarde e isso é importante para ela. Além de ser mais produtivo, a criança que fica tempo integral na escola, tem menos rendimento e fica, obviamente, mais cansada à tarde. Isso é visivelmente observado em comparação com outras crianças que ficam apenas meio período; sem dizer de um contato maior com  os pais (principalmente, a mãe), que é essencial nessa fase.

Toda adaptação dever ser FEITA AOS POUCOS.

Os pais deveriam buscar escolas que fazem esta adaptação de maneira progressiva, pois já se sabe há muito tempo que se não for feita dessa maneira, irá repercutir, negativamente, mais tarde na vida da criança. Ela irá se conformar, mas não se adaptar; o que é totalmente diferente.

A adaptação correta e benéfica para a criança começa com a ida dela junto com a mãe que deverá:

  • No 1o. dia,  ficar com ela dentro da sala por 1 hora mesmo que a criança esteja se divertindo. Ela deverá ir embora depois de 1 hora.
  • No 2o. dia, deverá voltar com a mãe e ficará o mesmo tempo (uma hora).
  • No 3o. dia, volta com a mãe e fica por 2 horas,
  • No 4o.  dia, 3 horas já com a mãe um pouco afastada da sala, mas visível.
  • No 5o. dia, o mesmo tempo ou mais, se a criança quiser ficar mais e com a mãe mais distante, talvez no corredor.
  • No 6o. dia, pelo período total de 4 horas, com a mãe na secretaria, por exemplo, mas indo de vez em quando ver a criança ou se for chamada por ela.

Nesses dias, caso a criança se canse e queira ir para a casa isto deve ser respeitado.

Caso a criança tenha passado bem esses primeiros dias, a mãe já poderá deixá-la na escola sozinha, dizendo à criança onde estará.

O que acontece, geralmente, em escolas que não têm essa adaptação e supostamente imaginam que a criança irá se adaptar, como ela geralmente para de chorar depois de algum tempo, pois é vencida pelo cansaço, imagina-se que ela está bem.

No entanto, depois de alguns meses, ela começa dar alteração, voltando a chorar e se negando a ir à escola.

Além disso, essa adaptação deve ser feita pela mãe e nunca por algum substituto, como babá, tia, avó, etc…

Mais ainda, se não for feita da maneira acima, provavelmente, a criança apresentará problemas da adaptação mais adiante e tudo terá de começar novamente: nova adaptação…

Em casos, no entanto, onde não haja escola que tenha esse processo de adaptação, a alternativa será:

a) Levar a criança a iniciar a entrada na escolinha somente mais tarde, por volta dos 4 anos;

b) Sempre buscar a criança no horário de saída e nunca se atrasar para que a criança não se sinta mais abandonada, ainda. (Aliás, isso serve para todas as crianças, mesmo as já adaptadas);

c) Compensar a ausência tentando passar o máximo de tempo possível com ela depois da chegada da escola, contando estórias, brincando com seus brinquedos preferidos, etc….

d) Colocá-la para dormir passando algum tempo com ela conversando, cantando, lendo estórias;

e) Evitando passar essa tarefa para o pai, pois nessa idade a criança precisa da presença da mãe.

Para mais informações sobre esta fase etária, veja os links a seguir:

“Mente de 2 a 4 anos”

  1. Criando Um Ambiente de Aprendizado…
  2. Comportamento, Disciplina, Agressividade
  3. Manias e Tiques
  4. Desenvolvimento (Fala/Vocabulário, Desenvolvimento Motor)
  5. Adaptação na Escolinha
  6. Timidez e Autoestima fragilizada
  7. Identificação sexual
  8. Sexualidade nesta fase?
  9. Amamentação nesta fase
  10. Difícil colocar para dormir
  11. Ciúmes de um dos pais
  12. Tão tranquilas que preocupam…
  13. Chorando muito…
  14. Medos…
  15. Alimentando-se pouco…
  16. Largando as fraldas...
  17. Preferência por um dos pais
  18. Largando a chupeta

About these ads

41 opiniões sobre “2 a 4 Anos: Adaptação na Escolinha

  1. XXX

    28/6/2008 Comentário recebido:

    Comentário por Danieli – Agosto 28, 2008

    Olá. Meu filho tem 2 anos e 1 mês. É muito esperto, e inteligente. Ultimamente está bastante agressivo. Este é o 8º dia de creche dele, o qual ele sempre se nega a ir, chora muito, dizendo que quer ficar em casa. (Tenho uma tia e a bisavó dele que moram no andar de baixo e fazem todas as vontades dele, c/guloseimas e tudo mais). Mas depois de uns 10 min. que está na creche, as professoras falam que ele já pára de chorar e se acalma. Fica o dia todo lá e buscamos no fim do dia. Nós dois trabalhamos fora. Antes de ir p/creche ele ficava numa casa de família desde os 6 meses de idade. Lá ele adorava ficar, mas a mulher que cuidava dele ficou doente e colocamos então a creche. É uma criança feliz, amada e recebe muito carinho. Mas percebi que depois destes dias na creche, ele está piorando, estando mais agressivo do que já era. Não quer tomar lanche nem almoçar. O que mais me preocupa é que a agressividade é geralmente comigo e com meu marido. Mais ainda comigo, pois me bate sem controle. As vezes eu dava um tapinha na mão dele, ou na bundinha, explicando que dói, que era para ele sentir também…Mas percebi que só piorava. Ficava mais agressivo ainda, revidando com mais tapas. Agora, deixamos ele de castigo no quarto, em cima da cama sem poder descer, geralmente por 2 min. No castigo ele chora muito, grita, dizendo “não quero ficar de castigo” Mas pelo menos ele não sai de lá antes de eu deixar…Eu não sei mais o que fazer…estou perdendo a paciência c/muita facilidade. Acabo gritando e me alterando…Para finalizar, estou tentando tirá-lo da fralda juntamente com as prôfs da creche. Ele já faz xixi e cocô no pinico de manhã, quando tiro a fralda. Já sabe que quer fazer, pois às vezes ele pede: “mamãe, xixi”. Mas às vezes acaba fazendo na calça. Acho que estou pressionando ele demais. O que devo fazer?

    Será que devo procurar um especialista ou alguma leitura específica p/me orientar nestas situações todas? Me ajude por favor…Obrigada.

    Marilena responde:

    Não sei como foi a adaptação dele na creche. Foi sendo feita aos poucos?

    Você ficava com ele na salinha por 1 hora e ia embora com ele?

    Voltava no dia seguinte e ficava 1 1/2h e depois ia ficando no corredor, na sala da frente, etc….?

    Isso deveria ter sido feito durante 1 semana para que a criança não se sinta ‘largada” na escola.

    Caso você não tenha feito isso (não sei como é a orientação da escola) seria interessante que você conversasse na escola e recomeçasse uma nova adaptação.

    Não inteira, como acima, mas pelo menos parcial, para que ele se sinta mais seguro.

    A agressividade com vocês, só demonstra como ele se sente abandonado por vocês, pois são os pais, (na cabeça da criança) que o abandona; daí a tendência de bater em você, como se dissesse: Você é a culpada disso, olha o que está fazendo comigo, etc..

    O castigo deve continuar a cada indisciplina ou agressividade com você.

    Isso não deve ser flexível, pois é uma fase em que eles testam os pais nessa área.

    toda mudança de escola, ou professora, ou babá, etc… provoca uma certa insegurança na criança.

    Tente uma adaptação mais demorada e parcial com ele.

    XXX

    Comentário de Maria José (11/02/09):

    Tenho um menino de quatro anos,que iniciou na escolinha este ano e está chorando muito todos os dias para ir a escola, mas a professora falou que ele chora e depois vai se acalmando aos poucos. Sempre deixo aos prantos na escola. Me falaram que depois ele se acostuma. O que eu faço? Continuo deixando na escola chorando ou deixou para o ano que vem.

    Marilena responde:

    Você não comentou sobre a adaptação dele na escola.

    O processo deve consistir em você ir com ele à escola e permanecer lá por 1h ou 1:30h, sempre com ele na sala.

    No dia seguinte, a mesma coisa e depois também. lá pelo terceiro dia você pode ficar no corredor ou na sala ao lado para que ele possa avistá-la ou ir até vc caso ele precise ou se sinta inseguro.

    O processo, geralmente, dura de 1 a 2 semanas com você se distanciando cada vez mais, mas dependendo sempre do comportamento dele. Isso foi feito?

    Caso aconteça de pular alguma etapa, tudo deve ser feito novamente até ele ir se acostumando.

    Como foi feita essa adaptação?

    Atualmente todas as escolas fazem esse processo ou deveriam faze-lo.

    Deixar a criança na escola sozinha sem esse processo, além de ser violento é agressivo, traumatizando bastante qualquer criança.

    XXX

    Comentário de Helena (02/03/2009):
    Olá gostei muito deste site e das orientações dadas às mães.
    Também gostaria de uma orientação. Tenho um filho de 2 anos e 09 meses. Coloquei na escolinha no passado e após as férias de julho ele não quis mais voltar pra escola. Tentei fazer readaptação novamente, mas não houve jeito. Fui orientada pela psicóloga da escola a tirá-lo e aguardar que ele fizesse 03 anos. Tento tentado conversar com ele pra ir à escola e ele ouve, conversa mas diz não. Será que ficou algum trauma? Devo procurar ajuda picológica pra ele? Eu gostaria de colocá-lo novamente meio período mas não quero que ele sofra.Ele não tem irmão e fica com os avós o dia todo.

    Marilena responde:

    A orientação está perfeita. Ele deverá esperar mais um pouco e mais tarde recomeçar na escolinha. Não tente pressioná-lo e empurrá-lo de qualquer maneira para a escola, pois será pior.
    Cada criança tem seu tempo determinado e você deve ‘ler” esse tempo de seu filho. Isso só significa que ele ainda não está pronto e você deve, de fato, esperar por mais tempo. colocá-lo ou forçá-lo a ir, é simplesmente uma violência que deve ser evitada.

  2. O meu filho tem 2 anos e meio e desde 5 meses frequenta o infantario. É um menino muito sociável e bem disposto. Nunca faz uma birra para ficar na escola, até agora. Desde há 1 semana que não quer me largar para ficar lá, pede-me para não o deixar e chora e grita por mim. Durante o dia isola-se dos amigos e em casa anda sempre atrás de mim e até tem pesadelos de noite e diz “não quero, não quero”… Estou a passar por momentos muito angustiantes, pois qd vou por na escola, agarra-se a mim tipo lapa e não me quer deixar, pede-me para não ir embora, para ficar com ele. O que se passará? Ajudem-me

  3. Marilena responde:
    (esta resposta é a mesma dada para uma outra mãe com situação similar)

    Seu fillho está sentindo DEMAIS sua falta, pois deixar uma criança desde os 4 meses em creche, tem suas consequências e hoje você mesma pode verificar isso.

    Depois de um certo tempo, eles que já aprendem a se manisfestar, começam a demonstrar isso através desse comportamento que você está vendo hoje.

    É mais do que natural que ele queira só você e não queira ficar com mais ninguém. A aproximação de outra pessoa qualquer, para ele significa: “Será que minha mãe vai me deixar com essa pessoa?”

    Você terá sim, que ficar somente com ele, e não se preocupe com a socialização que só está começando agora DEPOIS dos 2 anos. Fique com ele o máximo de tempo que você puder! Conte estórias, brinque, veja TV do lado se ele quiser assistir e “sature” seu filho de sua companhia.

  4. 20/03/2009 Comentário recebido:
    Tenho um filho de 2 anos e 11 meses, que este ano foi para creche. Nos primeiros dias ele ficava muito bem, sem chorar, gostava muito dos novos amiguinhos e da professora. Mas, depois do carnaval ele teve uma virose. Depois que ficou bom ele começou a não querer ir mais para creche. Chora muito, de perder o folêgo. E, o dia todo, ele tem momentos de muito choro. Não se alimenta direito na creche, tudo que quer para conseguir grita muito (e antes ele não tinha este conportamento). Está rebelde e teve uma regressão em relação a dormir sozinho, não quer mais dormir no seu quarto. Ele não tomava mamadeira de madrugada já um bom tempo e agora voltou a pedir, estou muito preocupada…. por favor me oriente

    Marilena responde:
    Seu filho sem dúvida não está gostando nada de estar na creche.
    Como foi a adaptação dele?
    Você ficou 30min com ele dentro da sala com ele no primeiro dia e depois no dia seguinte mais 20min e assim por diante durante TODA UMA SEMANA?
    Essa adaptação foi aos poucos respeitando tudo isso?
    O que é muito comum acontecer é uma adaptação feita às pressas e a criança começa, aparentemente, gostando, tendo que se conformar (o que não significa que esteja bem adaptada) e por qualquer motivo mais à frente, volta tudo.
    Ele pode até ter passado por uma adaptação razoável, mas não está gostando e ainda é cedo para ele ficar em creche.
    A idade de 2 anos não significa que qualquer criança está pronta a começar a escola.
    Cada criança é diferente e talvez seu filho com todo esse comportamento esteja exatamente tentando lhe dizer isso tudo.
    O melhor a fazer nesse caso, é deixá-lo em casa, se possível, pois forçá-lo a ficar na creche é uma agressão. Além dele não querer interagir, não se socializar e só danificar seu comportamento.
    Deixe-o ficar mais um tempo em casa e só mais tarde, no segundo semestre, recomece a adaptação aos poucos e vamos ver como ele se sai.
    Forçá-lo só irá piorar esse quadro. Essa não é a melhor maneira de ajudá-lo, tenha certeza!

    Retorno da mãe:
    Tambem acho que ele deveria ficar em casa, mas não tenho ninguém que possa ficar com ele, gostaria que você desse alguma sugestão de como ligar com este fato, já que a única alternativa é a creche, pois tenho que trabalhar.

    Marilena responde:
    Você deverá fazer uma nova adaptação e caso não tenha feito como abaixo, tente fazer aos pouco, pois, agora tudo depende dela.
    Não importa se ele já passou muito tempo na creche, o que importa é que AGORA ele não está mais se adaptando.
    Além disso, o problema não está em mudar de creche e sim no afastamento de você.
    Tente uma nova adaptação e leve essa proposta à escola.

  5. 26/03/2009 Comentário recebido:
    Adorei as dicas do site. Tenho uma filha de 1 ano e 2 meses, ela vai pro berçário desde os 4 meses e nunca apresentou nenhum problema, só que a cerca de duas semanas eu que comecei a levá-la pro berçário (antes era o pai), desde então ela tem chorado muito quando a prof. vem pegá-la, se joga no chão, e quando está em casa só quer ficar comigo, brincando, chora pra escovar os dentes e tomar banho coisa que nunca ocorreu antes,ela é uma criança calma, mas rejeita o carinho até mesmo do pai quando estou por perto. Estou preocupada pois não sei se essa mudança de comportamento se dá a idade, ou se algo no berçário ou sei lá pode estar influenciando nesta mudança?

    Marilena responde:
    O que muitos pais não entendem é que mesmo uma criança que já tenha ficado no berçário desde muito cedo, “de repente” comece a apresentasse comportamento como o de sua filha. Ela está demonstrando claramente, que sente sua falta. Crianças nessa idade podem até ter ficado desde cedo em um berçário, mas isso não significa que estejam gostando.
    Elas simplesmente se conformam, pois não existe opção para elas. Existe?
    Depois de um certo tempo que já sabem como reagir, começam então a demonstrar isso de alguma forma. Como não sabem ainda falar, a única maneira, é através do comportamento, como esse de sua filha. É muito comum, então, elas rejeitarem ao carinho de pai e mãe.
    A única possibilidade saudável para sua filha, seria que ela ficasse muito mais tempo com você. Ela precisa de sua companhia e precisa de tempo com você. O tempo com mãe é insubstituível e indispensável para um desenvolvimento saudável e equilibrado de qualquer criança.
    Quanto mais cedo uma criança se distanciar da mãe, mais complicações surgirão. Ainda, há tempo de reverter essa situação e reveja por favor sua possibilidade de ficar com ela em casa e somente mais tarde (depois dos 2 anos) colocá-la em uma escolinha de meio período. Caso seja impossível, tente passar a maior parte do tempo somente com ela.

  6. 31/03/2009 Comentário recebido:
    Olá! Nem acredito que achei essa página maravilhosa. Estou num momento em que preciso demais de sua opinião. Meu filho tem 4 anos e 3 meses: é lindo, muito saudável, inteligente, carinhoso e amável. Ao mesmo tempo e na mesma intensidade ele tem comportamento agressivo (com os outros), é teimoso, não escuta/acata o que os outros dizem/pedem, está sempre resmungando, sempre insatisfeito. Ele não brinca sozinho, só brinca se eu participar; irrita-se e quebra tudo e vive resmungando. Em vez de brincar fica em cima de mim, mexendo nas coisas, me segurando, pulando em cima de mim, puxando meu cabelo. Socorro, tem dia que penso que não vou aguentar. Eu não faço as vontades dele, dou muito carinho e atenção, mas sei muito bem dizer não, ele sabe disso e já está acostumado, mas repete esses comportamentos irritantes. Ele não dorme de dia e à noite vai dormir tarde e acorda cedo, ele é realmente cansativo. Quando faço a vontade dele, logo aquilo já deixou de ser importante, quer outra coisa e outra. Sinto-me impotente. O maior problema mesmo é na escola (ele ficava em período integral desde os 5 meses de idade até o final do ano passado): ele agredia as professoras e batia nos amigos (toda semana elas me chamavam na escola pelo comportamento dele: não tem respeito por ninguém, não cumpre as regras, faz o que tem vontade e faz escândalo e é violento quando contrariado, não aceita “não”). Parei de trabalhar para dar mais atenção a ele, pois nas minhas férias ficava com ele meio período em casa e vi melhoras. Coloquei-o novamente na escola (em outra), mas em meio período apenas. Hoje foi o 3º dia e já tenho 3 convites da orientadora da escola porque ele já andou aprontando das dele. Enfim, estou muito cansada, tenho gritado demasiado, já estou ameaçando de bater nele todo dia, porque conversar não adianta e cheguei numa triste conclusão: na outra escola elas o “aturavam” porque era particular, mas essa é gratuita, não é o mesmo atendimento, não sei o que vai ser. Em casa ele me obedece, me respeita, me atende. Apesar de eu conversar muito muito ele insiste nesse comportamento rebelde na escola. Por favor, me aconselhe, preciso demais, não estou nem conseguindo dormir à noite, temo que ele seja um jovem rebelde, violento, sei lá. Um abraço e obrigada pela atenção.

    Marilena responde:
    Duas situações levaram seu filho a isso (pelo menos é o que parece).
    A ida para a creche desde muito cedo; o que faz com que crianças; pelo menos na grande maioria demorem muito mais a “interiorizar” a figura materna; ou seja, eles se saturam da mãe e com isso podem ficar longos períodos longe dela, sem problemas. Felizmente, você ainda tem um bom período para reverter esse quadro.

    O outro ponto é a disciplina que talvez nunca tenha sido feita corretamente. Quando ele se agarra a você ou puxa seu cabelo, nesse momento já é necessária uma disciplina. Ele já precisa saber que há limites pra determinado comportamento. Você tem algum lugar específico na casa que possa deixá-lo de castigo, onde você possa vê-lo? Deixe-o lá por 4 minutos e diga a ele porque está fazendo isso e se ele sair (o que deverá fazê-lo) volte com ele para o lugar, diga novamente porque está fazendo isso e caso ele saia (não importa o número de vezes) volte com ele para o mesmo lugar, mas não olhe para ele e sequer fale com ele.
    Crianças nessa idade já tentam sabotar e manipular os pais, mas seja firme e tenha paciência. quando finalmente passarem os 4 minutos, explique a ele o porquê do castigo e faça-o pedir desculpas.
    O mesmo processo deverá acontecer quanto à ida pra cama. Estipule um horário para ele dormir e coloque-o na cama dizendo que está na hora de dormir. Caso ele saia da cama ou do quarto, volte com ele e diga que está na hora de dormir. Se ele sair das próximas vezes, não fale e nem olhe para ele; simplesmente coloque-o na cama de novo. Ele saberá que nesse jogo, ele não sairá ganhando. Se você desistir ou deixar-se levar por ele, como por exemplo, se ele disser que quer água, etc… simplesmente não dê ouvidos. Banheiro, água, tudo isso deve ser feito ANTES de ir pra cama. Depois, nada mais é permitido. Há casos em que a criança precisa ser levada mais de 10 vezes para o quarto. Isso acontecerá nas primeiras noites, menos vezes na segunda noite e assim por diante.É como tirar a chupeta da criança. Ela chora muito na primeira noite e depois vai se acostumando.

    A disciplina começando em casa nesses pequenos pontos, se estenderá para a sala de aula. Se você souber que ele foi agressivo na sala, ele também ficará de castigo quando chegar em casa.
    Quanto a brincar com ele, você poderá começar a brincar com ele e depois diga a ele que quer vê-lo brincar, quer saber como ele faz e fique olhando. O que seu filho imagina, é que se ele brincar sozinho, você irá fazer outra coisa e como ele já ficou bastante tempo sem você, ele não quer perder esse contato. Ele precisa acostumar-se, aprender a brincar sozinho e isso deverá acontecer aos poucos. É como uma espécie de treino e isso leva algum tempo.

    Crianças que ficaram longe das mães desde muito cedo, quando ficam com elas apresentam exatamente esse tipo de comportamento. No fundo, têm medo de ficarem sem ela novamente e não querem mais passar por isso. Ainda há tempo, no entanto, de você reverter esse quadro. Tenha paciencia e não desista pois no início será muito difícil, mas não impossível.

  7. 03/11/09 Comentário recebido:
    Obs.: Estamos publicando diretamente aqui, pois a resposta por e-mail retornou por erro de endereço.
    Tenho um filho de 2 anos e 9 meses que ficava na creche comigo, onde eu trabalhava até mês passado. Ele ficou lá desde os 2 meses de vida. Pareceu sempre gostar, mas, talvez, não tivesse opção. Nunca foi um bebe chorão e sempre muito calmo. Agora ele está totalmente agressivo, morde os coleguinhas não quer brincar com nenhum amiguinho da escola. Quando vamos a um parquinho ele tenta se aproximar das outras crianças que ele não conhece, mas logo desiste pois ainda não está falando, nada mesmo e acaba desistindo. Notamos que ele não gosta das crianças da escolinha dele e que crianças de fora ele tenta se comunicar e brincar coletivamente.
    Agora vamos nos mudar de cidade e estou na dúvida se coloco ele numa escolinha ou não; pois se ele ficar em casa comigo o vocabulário vai atrasar mais ainda, pois em casa ele tem tudo o que quer na mão. Eu e meu esposo acabamos cedendo aos choros que agora estão frequentes. Estou bem perdida em relação a essa questão.
    Fico em dúvida, também, em relação a qual turminha devo colocá-lo, pois na idade dele, geralmente, as crianças estão todas falando. Quando eu trabalhava na mesma escolinha eu atendia as necessidades dele, pois sabia que ele não iria pedir, mas agora em outra escola eu não estarei lá!
    O que devo fazer? Tenho medo que na escola nova eles o rotulem por ser muito mimado e não saber lidar com a frustração, de ser uma criança “lerda” que ainda nem sabe falar.
    Será que deixo ele com uma turminha mais nova (de dois anos) para que ele não passe necessidade? Ou será que isso só vai atrasá-lo mais.
    Ele é um bebe muito sapeca, forte, com uma ótima coodenação motora, adora rabiscar, brincar com tinta, nadar na piscina, mas no que diz respeito a fala e executar ordens ele parece um bebezinho mimado. Se eu pedir para ele desligar a tv, ele desliga qualquer coisa que esteja mais perto para facilitar, tenho que olhar para ele novamente, bem nos olhos e dizer : eu falei “desligar a tv” ; ele desliga, mas na maioria das vezes contrariado.
    Queria uma sugestão sobre todas essas dúvidas.

    Marilena responde:
    A iniciativa de “dar tudo na mão”, de fato, contribui para que a criança descanse com essa atitude e não avance adequadamente. No entanto, no momento que essa atitude é deixada de lado, a criança começa a responder positivamente.
    Você mesma poderá ajudar seu filho nesse ponto, esperando que ele se esforce um pouco mais para conseguir as coisas e não cedendo facilmente como você mesma relata.
    Quanto à escolinha deixe que ele fique na turma correspondente à idade dele, pois se você diz que ele adora fazer essas tarefas todas, como desenhar, etc… ele irá fazê-las na escola e irá acompanhar a turma.
    Quanto à verbalização, ele irá aos poucos se desenvolvendo pois a companhia de outras crianças irá ajudá-lo nisso.
    Quanto a sociialização, ela só começa a partir dos 2 anos e isso varia muito, onde percebe-se crianças com até com quase 3 anos com uma socialização empobrecida mas que mais tarde recuperam isso muito bem.
    Não se preocupe com isso e deixe que ele comece na salinha na faixa etária dele, sem problema.

  8. Olá, tenho um filho de 1 ano e 10 meses que começou na escolinha essa semana somente por 1/2 período. Resolvi colocá-lo na escolinha, pois desde que nasceu ele fica comigo, pois parei de trabalhar para cuidar dele e me peguei cometendo os erros que li milhares de vezes em livros, adivinho o que ele vai pedir e dou antes, cedo a choros, essas coisas…quando percebi que ele estava agressivo e chorão por pequenas coisas, vi que a socialização era preciso.
    Ele só chora quando me vê indo embora, pois quando volto para buscá-lo, ele está bem e brincando. Só estou preocupada, pois a escolinha não deu um tempo de adaptação para os pais e filhos, tenho medo que isso o tenha traumatizado e que se manifeste depois. Mesmo com dor no coração, levo ele de mãos dadas e o entrego a professora dizendo :”mamãe já volta” e vou embora sem olhar para trás, mas o escuto chorando. Será que o traumatizei? Me ajude?

  9. Marilena responde:
    Tentar colocar seu filho nessa idade, imaginando que ele irá se socializar, é um erro, pois a socialização só acontece A PARTIR DOS 2 ANOS e mesmo assim, depende de cada criança.

    Nessa idade, ele precisa ficar ao seu lado, pois mais erros que você cometa, nada se compara em corrigí-los (já que você já sabe onde está errando) e deixá-lo que ele fique com você, do que levá-lo a uma escola numa idade tão cedo principalmente numa escola, que não possui uma adaptação progressiva para a criança.

    O ideal seria que a criança iniciasse a escola, depois dos 2 anos, perto dos 3, onde já sabe falar muita coisa e, portanto, já pode se defender e contar em casa o que aconteceu na sala; por mais precário que seja o vocabulário.

    Portanto, se você quiser de fato, acertar com filho, o melhor a fazer, é deixá-lo com você em casa e, mais tarde, buscar uma escola que tenha uma adaptação adequada e saudável.

    Não se mire na formatação de outras pessoas que deixam os filhos na escola tão cedo, imaginando que estão fazendo um bem enorme a eles. O maior bem que se pode fazer a um ffilho nessa idade, é deixar que o relacionamento mãe-filho só se fortaleça com o contato. O vínculo materno (sua presença constante perto dele) é fundamental para que ele cresça uma criança segura, confiante, com auto-estima adequada e saudável.

    Prorize o equilíbrio emocional de seu filho e invista nele, sabendo que essa é a melhor coisa que você pode fazer por ele.
    A escola terá seu tempo e os amigos idem. Agora é tempo de fortalecer seu vínculo com ele e ninguém poderá suvbstituir você nessa área; nem professora e nem coleguinhas.

  10. 10/02/2010 Comentário recebido:
    Olá… Adorei este post para dúvidas…
    Minha filha tem 1 ano e 6 meses e começou a ir para a escolinha a 5 meses, mas algumas semanas, toda vez que volta da escolinha, ela me dá uma abraço muito feliz, mas 5 minutos depois começa a chorar muito e a me rejeitar, nada que eu faço para ela a agrada, ela corre chorar sozinha ou para o colo da avó, sendo q dá avó aceita todos os carinhos. Durante os dias que não há aulas, como feriados e fins de semana, ela me trata muito bem, me respeita e só deseja atenção da minha parte. O que será q esta acontecendo com minha filha. Será q ela está chateada por eu levá-la na escola, sendo que ela vai toda feliz para lá e quando meu marido a pega está também muito feliz… me ajude. obrigado

    Marilena responde:
    Ainda é muito cedo para que sua filha inicie em uma escolinha. O ideal é que a criança comece aos 3 anos.
    Na idade de sua filha, ela precisa somente de sua companhia. O lado emocional precisa se equilibrar e se desenvolver solidamente e isso acontece somente ao lado da mãe. Nem a presença do pai é tão importante nessa idade.
    Sua filha “parece” bem na escolinha, mas como você mesma relata, ela rejeita você logo em seguida. O motivo está bem claro: ela não se acostumou na escolinha, apenas se conforma, pois não há outra alternativa para ela. Como a verbalização ainda não se estabeleceu, ela se exprressa pelo comportamento.
    Aliás, nessa idade, e até que o vocabulário se desenvolva, ela só tem a alternativa de se expressar através do comportamento.
    A escolinha, inclusive nessa idade, não serve nem para que ela se socialize, como muitas mães imaginam, porque o processo de socialização só começa A PARTIR dos 2 anos em diante e assim mesmo varia entre crianças.
    Sua filha, portanto, precisa somente de você e irá se desenvolver adequadamente com sua presença. O vínculo emocional que se estabelece nesse início de vida é fundamental para uma auto estima equilibrada, confiança e segurança da criança.
    Ajude sua filha nesse sentido. Ela depende muito de você.

  11. 25/02/2010 Comentário recebido:
    Obs.: Publicamos aqui, pois a resposta por e-mail retornou por erro de endereço.
    Oi, temos aqui na creche uma aluna de 2 anos que chora constante, desde o momento que chega até a hora da saída. Não almoça, não come nada o dia todo, e fica chamando a vovó e os pais o tempo todo. Observação, o choro é somente reclamação, não chora com lágrimas. Como devo orientar a professora de sala? Quais estratégias devemos utilizar? Já chamamos a mãe e conversamos, mas não melhorou.

    Marilena responde:
    Tudo depende de como foi feita a adaptação dela na escola.
    A escola possui o processo de adaptação feita pela mãe durante a primeira semana?
    Caso ela não tenha passado por isso a mãe deverá fazer o processo de adaptação com ela ou será inútil qualquer movimento seu ou da escola, ou da mãe, ou de qualquer outra pessoa.
    O processo adaptativo é essencial para que situações assim não ocorram.
    Verifique isso.

    09/03/2010 Comentário recebido:
    Tentamos a adaptação conforme orientações de nossa última conversa do dia 25/02/2010. A aluna continua chorando, e em alguns momentos claro que ela brinca, interagi, porém a mãe não assumiu a responsabilidade
    de estar presente nos horários combinados, ou seja, ela veio um dia e não mais apareceu, mandou outra pessoa entregar a criança, ela chega chorando, não come, não dorme, enfim… o que mais poderia-mos fazer?

    Marilena responde:
    A mãe deverá ser chamada à escola e a recomeçar a adaptação já que esta simplesmente não foi feita. Ou ela deverá concordar com o sistema de adaptação e fazê-la passo à passo ou deverá retirar a criança da escola.
    Ou seja, mostrar a importância dessa adaptação para a mãe é mostrar-lhe a importância do bemestar emocional da filha e, principalmente, mostrar que a pessoa mais importante nesse processo é a filha.
    Crianças nessa idade devem ser priorizadas em tudo e a mãe precisa entender essa posição.
    Ajudar a ela a entender a responsabilidade de ser mãe e a maturidade que esse processo requer poderá ser feito através, também, da escola.

  12. 19/05/2010 Comentário recebido:
    Gostaria também de saber sua opinião sobre a idade ideal de uma criança ir para a escolinha. Pergunto isso porque minha filha tem 2 anos e 4 meses e está cada vez mais difícil para mim ficar com ela. Ela fica comigo desde que nasceu e até um ano e meio mais ou menos eu conseguia entretê-la, mas agora por mais que eu me esforce ela me parece estar sempre esperando algo mais,sempre meio entediada do nosso dia-a-dia. Eu tento variar as brincadeiras (inclusive pesquiso na internet brincadeiras para a idade dela),levo-a para passear no bairro e quando é possível levo-a para brincar na casa de alguém que tenha crianças, mas mesmo assim ela me parece estar sempre querendo algo novo todos os dias, mais diversão, mais pessoas por perto, não sei ao certo. Então começo a pensar na possibilidade da escolinha, mas confesso que só de pensar me dá um aperto no peito, pois acho ela muito pequena e, também, ficar longe dela para mim seria um pouco difícil,e tem ainda o fato de que isso seria assumir que não consegui ser a mãe que queria ser,seria assumir um fracasso e fico também pensando que se colocá-la na escolinha e acontecer qualquer coisa com ela,até um resfriadinho que seja eu vou me culpar,tenho certeza disso. Por outro lado talvez seja o mais correto pois ando meio estressada em ver que não estou mais “dando conta do recado” e aí, mesmo sem querer acabo ficando irritada e muitas vezes até brigando com ela,claro que sempre me arrependo mas tem sido difícil evitar. Por favor um conselho seu sobre isso.

    Marilena responde:
    Quanto à sua filha, você poderá esperar até os 3 anos, porque antes disso não há socialização, ou seja, ela não irá dividir e nem se relacionar com outras crianças.
    Para a diversão dela, você poderá:
    * ter lápis de cera de várias cores e papel e um cantinho com uma mesinha da altura dela para que ela possa se sentar e rasbicar à vontade.
    * na papelaria, você encontra carimbos pequenos e ela, também, poderá brincar com isso e colorir depois com o giz de cera
    * livrinhos de estórias para a idade dela que você poderá contar
    * massinha de modelar que elas adoram, de várias cores
    * DVDs infantis que você encontra com muita variedade e que ela poderá ver (tipo Peter Pan, das Princesas, 3 Porquinhos, Pantera Cor de Rosa, etc)
    * jogos de encaixe, ou toquinhos para ela ir colocando e empilhando, pois nessa idade ela já poderá “construir coisas”
    Lembrando que essas atividade ela fará por pouco tempo (e o faria na escola), pois o tempo de concentração é muito pequeno e, portanto, você poderá variar bastante.

    Para ela correr um pouquinho em casa, (se não tiver muito espaço ou lugar para sair) faça círculos de giz no chão (que saem facilmente depois) e coloque objetos para ela ir trocando de um círculo para o outro. Vá brincando com ela (aliás, em quase tudo você poderá fazer com ela).

    Vá ensinando os números e cores. Comece com 2 apenas e depois vá aumentando.

    Vá ensinando, também, os nomes de bichos diferentes (talvez você encontre livros de bichinhos).

    Não tenha pressa em colocar sua filha logo na escola, pois ela precisa da sua companhia e pode estar certa que ela se sente feliz em estar com você. Apenas precisa da sua companhia para brincar. É cansativo para você, muitas vezes, mas muito saudável emocionalmente para ela.

    21/05/2010 Retorno recebido:
    Quanto à minha filha de 2 anos eu já fazia tudo o que você me aconselhou, ela já tem todos esses brinquedos, eu já brinco com ela sempre e também já ensinei muitas coisas para ela – sempre durante as brincadeiras (ela por ex já conhece todas as cores e os números até 10 em português e inglês (talvez eu tenha exagerado em ensinar também em inglês he,he). Concluo então que estou fazendo a coisa certa, estou cuidando-a e educando-a da maneira correta e com os mesmos recursos que uma escolinha. Acho que o problema então sou eu, a minha cabeça, o meu temperamento instável, minha irritabilidade constante, não sei. Vou ler todos os textos que encontrar em seu site sobre tudo o que possa me parecer que tem a ver comigo, também vou tentar exercer o auto-controle para que pare de “explodir” por qualquer motivo ou até sem nenhum. Enfim, vou tentar melhorar a mim mesma para que dessa forma eu consiga ser uma mãe mais calma e estável. Mais uma vez muito obrigada.

  13. 14/09/2010 Comentário:
    oi adorei o seu site e preciso de ajuda tb pois tenho uma filha de 2 anos e 3 meses, e coloquei na escola com 2 anos e de uns dias p cá vem mordendo todos os coleguinhas, as vezes chega a morder 4 em um mesmo dia, ja nao sei o que fazer pois esse comportamento tem sido constante, e qdo a professora me diz que ela mordeu eu explico que nao pode, coloco de castigo e cheguei até a dar palmadas na mao dela. mas eu coloco de castigo explicando que ela mordeu os colegas da escola e ela me diz o nome da criança q mordeu e onde mordeu e no outro dia repete td de novo, e falei para meus familiares e eles tb conversam com ela e mesmo assim tem se repetido ja pensei em levar no psicologo o que faço?

    Marilena responde:
    Sua filha não precisa EM ABSOLUTO de uma psicóloga. O comportamento dela é perfeitamente normal, pois nessa idade não existe socialização. Portanto, muitos pais, erroneamente, pensam em colocar os filhos, na idade de 2 anos, na escola para “se socializarem”. O que é puro engano.
    O que existe, então, são apenas mordidas, puxões de cabelo, etc….
    Somente aos 3 anos essa socialização, que começou a se construída (muito devagar) depois dos 2 anos, se completa e aí sim, a criança poderá ingressar na escola. Antes disso, portanto, o ideal é que a criança fique em casa na companhia da mãe, pois ela precisa mutíssimo desse contato para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado.

    Se você não trabalha fora e pode ficar com ela em casa, essa é a situação ideal para sua filha.
    Lembrando que para que a criança comece na escola é fundamental que ela faça o processo de adaptação completo. Veja a possibilidade de retirá-la da escola, caso você possa.

    Lembrando, também, que de nada adianta "conversar" com a criança sobre essas agressões, Afinal, como o vocabulário ainda está pouco desenvolvido, nessa idade, a única maneira dela se "expressar" é através do comportamento, Portanto, quando ela está com raiva, a única alternativa que tem, é bater ou morder.
    Sua filha portanto, está reagindo de uma maneira perfeitamente normal e adequada à tudo o que ela está passando.
    Brigar com ela ou colocá-la de castigo, só irá fazer com que ela recue nesse processo e fique mais tarde, sem alternativas para se defender, associando que defesa=punição.

    Dizer apenas que faz dodói e que ela não pode fazer isso já é o suficiente.

    Talvez, lhe interesse, também, o artigo "Tempo com Filhos".

  14. 15/09/2010 Comentário recebido:
    Bom dia e parabens pelo site, adorei. Tenho uma filha de 1 ano e 7 meses e vou voltar a trabalhar agora dentro de alguns meses, estou procurando escolinha, mas ainda não me decidi pelo periodo integral ou parcial, vai ainda depender do meu horario de trabalho.Vou seguir as dicas de adaptação e escolher uma boa escolinha, mas meu maior problema é a reação do pai que por ele eu ficaria o resto de minha vida em casa cuidando dela….mas enfim, me preocupa o fato dele ficar resmungando na frente da menina sobre a escolinha e as professoras, e ela minha filha sentir nossas divergencias, como lidar com essa situação??? a criança nesta idade ja percebe bem se ele fizer comentarios que deixem transparente o desagrado dela na escola, e ela pode tornar o periodo de adaptação ainda mais complicado? e qt tempo uma crianca dessa idade se adapta a escolinha e a nova rotina? E a noite em casa devo recompensar de que forma nosso distanciamento do dia para que ela não se sinta abandonada…?

    Marilena responde:
    É uma pena que você já tenha que trabalhar com ela tão novinha assim….
    Crianças, nessa idade, precisam muito da mãe e o ideal é que ela comece na escola somente por volta dos 3 anos, pois antes disso não há socialização.
    Se você não tiver opção, então tente deixá-la meio período, pois as crianças que ficam o dia inteiro na escola, além de ficarem cansadas, retém muito pouco no segundo período.
    Infelizmente, se você ainda sim não puder deixá-la por meio periodo (tendo consequências no comportamento dela, obviamente) procure uma escola com o processo de adaptação , não se esquecendo de seguir o período recomendado e indo você mesma com ela, todos os dias.
    Saiba no entanto, que crianças que vão muito cedo à escola, sentem-se sim, um pouco “abandonadas” pela mãe. Isso será inevitável.
    Mas, entre deixá-la com alguém em casa e deixá-la na escola, o melhor ainda é a escola, pois o risco de deixá-la com uma pessoa desconhecida é muito alto.
    Tente brincar com ela bastante de esconde-esconde, pois através disso ela saberá ou associará que você some, mas volta.
    Brinque bastante com ela e invista no periodo da noite, com brincadeiras e na hora dela dormir, fique um tempo do lado dela, contando estórias, cantando, conversando, etc….
    Esse período do dia na companhia da mãe é importante para a criança.
    Será um pouco difícil para seu marido, que parece ter uma consciência muito lúcida do que é a presença da mãe na vida de uma criança ainda nessa idade. Não o culpe por isso, pois muitos pais são indiferentes; infelizmente quanto à isso.
    Tenho que concordar com ele, fazendo, no entanto, uma ressalva, pois você não precisaria ficar o resto da vida cuidando de sua filha. Apenas na primeira infância esse contato é importante (e continua sendo, é claro) mas menos intenso.
    E você poderia voltar ao trabalho mais tarde, sem tanta demanda de sua filha.

    Recomendo a leitura dos artigos, no blog, nos links :
    Tempo com Filhos
    Ser Humano Adoecido

    16/09/2010 Retorno:
    Agradeço imensamente a atenção da resposta, e vou fazer todo o processo de adaptação com calma, sem pressa ou estress….em algumas escolinhas que fui visitar ela se socializou no primeiro minuto, já saiu do meu lado foi sentar no tapetinho junto com as outras crianças..e a deixei com as tias para conhecer as outras dependencias, sem que lela tenha sentido minha falta…..todos na escola me dizem que a adptação será boa. Vou ler as reportagens, obrigado.

  15. 17/09/2010 Comentário recebido:
    Olá! A minha filha tem 2 anos e 4 meses e entrou no dia 2 setembro para a creche.
    No 1º dia depois de muito conversarmos sobre a escola ficou 1h, fiquei um pouco com ela na sala antes, ficou a choramingar mas quando espreitei novamente já não chorava e quando a fui buscar estava muito contente. No 2º dia ficou 1h30, no 3ºdia já almoçou, ficando no total 2 horas, assim como nos 3 dias seguintes. No 6º dia dormiu mas com muita dificuldade ( está muito habituada a dormir comigo ou com a minha mãe, com quem ficou antes de ir para creche, ao seu lado ). Teve dias em que foi muito díficil deixá-la, pois chorava muito e agarrava-se muito a mim e outros um pouco mais fáceis mas que se via nitidamente que se estava a tentar controlar para não chorar e sempre a perguntar por mim à educadora. Nesta 6ª feira decidi não a levar, após ter falado com a educadora, que concordou. Sempre que fala na escola, diz que não quer dormir, que não quer camas, que quer ficar com a mamã, apesar de sempre que chego ao colégio estar contente a brincar. O maior receio dela é mesmo dormir lá, mas não consigo que faça sempre a sesta em casa nem sei se será benéfico o fazer. O colégio onde a minha filha está é pequeno, do berçário até o fim do pré escolar (com 5 anos), têm poucos meninos nas salas (na da minha filha têm 8, com 1 educadora, 1 auxiliar, e mais outra auxiliar sempre que necessário) e são todas muito meigas e queridas. Estou a pensar não a levar à creche às 6as feiras e assim só ía 4 dias e ficava 3 em casa. Na sexta a minha mãe pode ficar 3 horas com ela de manhã e à hora do almoço já a iría buscar… Será benéfico para ela? Peço a vossa ajuda…Muito obrigada

    Marilena responde:
    Se você não trabalha fora de casa, seria super conveniente que sua filha ainda ficasse em casa, mesmo porque nessa idade ainda não existe socialização e ela aprederá muito pouco na escola.
    A socialização se completa por volta dos 3 anos e, ai sim, seria o ideal de ingressá-la na escola.
    Além disso, é importante a companhia da mãe, pois assim ela terá um desenvolivmento emocional saudável e equilibrado.
    Se você trabalha fora, mas tem a chance de deixá-la com a avó, então seria bem melhor que ela ficasse mais em casa e fosse pra escola somente em alguns dias.
    Existe muita necessidade da criança nessa idade dormir bem à tarde, pois ainda precisa desse sono ou se tornará uma criança irritada, mau humorada, birrenta e agressiva, principalmente com você.
    Avalie tudo isso e priorize sua filha.
    Ela precisa muito de você, ainda. Principalmente, nos primeiros anos de vida que são fundamentais para o lado emocional dela.
    Alguns artigos (links) que poderão lhe interessar:
    Tempo com Filhos
    Ser Humano Adoecido

  16. 08/10/2010 Comentário recebido:
    Obs.: A resposta enviada por e-mail retornou por erro no endereço.
    MINHA FILHA TEM 2 ANOS E UM MES. ELA É MUITO TEIMOSA, CHORA POR QUALQUER COISA NÃO OBEDECE. ELA NÃO CONSEGUE FICAR PARADA, SEMPRE TEM QUE ESTAR MEXENDO EM ALGUMA COISA. SE ELA NÃO CONSEGUE FAZER OU MEXER ELA JOGA AS COISAS NO CHÃO E CHORA MUITO. ELA ESTÁ FICANDO INSUPORTÁVEL DE MAIS. EU JÁ NÃO TENHO MUITA PACIÊNCIA. ELA CONSEGUE ME DEIXAR IRRITADA, MUITO FÁCIL. NÃO ME DEIXA FAZER NADA SÓ QUER COLO, DEPOIS QUE ELA ENTROU NA CHECHE ELA PIOROU MUITO. SOCORRO!!! NÃO SEI O QUE FAZER.

    Marilena responde:
    Sua filha tem um comportamento perfeitamente NORMAL dentro do seu relato. Principamente, por já ter entrado na creche tão cedo.

    Nessa idade, a criança ainda precisa ficar ao lado da mãe para que tenha um equilíbiro emocional, saudável e equilibrado. O ideal é que a criança entre na escola somente aos 3 anos, mesmo porque antes disso, NÃO há socialização.

    O que acontece é exatamente isso que você vem observando na sua filha. Ela “piorou” mais ainda.
    Se você não fez o processo de adaptação, então, pior ainda.

    O fato de querer mexer em tudo, também, é super normal. Aliás, essa é uma característica dessa idade. A criança explora o que vê e, portanto, ela precisa de espaço e liberdade para fazê-lo. Retire tudo o que for perigoso da vista dela dentro de sua casa, evitando assim, banalizar o “NÃO”. Em vez de dizer sempre “NÃO” todo o tempo, você usará o “NÃO” quando, de fato, for necessário.

    Deixe que ela pegue as coisas; lembrando que se você mora em apartamento, ela provavelmente não tem muito espaço (o que crianças precisam, nessa idade) e isso é mais um motivo para ela ficar irrequieta.

    Sempre que você puder, saia com ela para espaços amplos. Crianças precisam dessa liberdade para que desenvolvam sua auto-confiança.
    Ajude sua filha nesse sentido
    Leia no blog o artigo sobre “Tempo com filhos”.

  17. 03/12/2010 Comentário de Eliana:
    Coloquei minha finha com 2 anos e 11 meses na escolinha (em setembro de 2010). Nos 4 primeiros dias foi para escola amando, no 5º dia chegou em casa super irritada a tarde toda, porque um colega dela puxou o cabelo e outro mordeu e a professora não fez nada e ela dizia que a professora é ruim e não fez o colega pedi desculpa e só pedia p/ ela parar de chorar. No mesmo dia, ela ficou doente (gripe) e passou a ter uma regressão urinando nas calças (só em casa, nos lugares fora não). Depois de uns 5 dias sem ir para a escola melhorou um pouco. Voltei a levar p/ escola depois de uns 10 dias deixei ela forçada na escola chorando muito, ela não quis, pois estava com medo. No outro dia, ela não quis ficar na escola eu não aguentei e trouxe a de volta p/ casa. Cancelei a matricula, desde então ela ficou indo ao médico, pois ficou doente de novo com garganta infeccionada. Está urinando nas calças de vez enquanto e tenho que sempre estimular a levar p/ o banheiro p/ evitar que faça nas calças e chega lá quer que eu tire as calcinhas e coloque. O pediatra dela fala que houve uma regressão (dependência), mas eu não entendi essa regressão. Agora não sei se coloco em outra escola ou continuo na mesma no ano (2011) que vem. A forma de adaptação é a mesma p/ ambas ou seja é reduzido as horas p/ as crianças. Já fui em varias escolas todas são da mesma forma. Por ela ter ficado com medo da escola que estava seria interessante continuar no proximo ano na mesma escola p/ enfrentar o medo ou realmente mudar de escola que é outro ambiente. Pode ter trazido alguma consequencia p/ ela ou a gente pode mudar isso e como, de que forma? Pois acho que somos pais muito cuidadoso com ela. Há esses dois dias ela está apresentando este comportamento: ao iniciar uma frase a 1º letra ela repete a letra. Não é direto, apenas uma vez ou outra. Seria a fase dela ou temos que preocupar?

    Marilena responde:
    Realmente, sua filha iniciou o processo da escolinha muito cedo.
    Primeiro, a criança não deve ir para a escola nessa ainda, pois não existe socialização. Você mesma viu, que tanto isso não existe e que as crianças só sabem puxar cabelo, morder, etc…
    O ideal é que a criança vá para a escola por volta dos 3 anos ou mais.
    Assim mesmo, deve haver o processo de adaptação.
    Essa regressão, significa que ela voltou ao tempo quanto tinha perto de 1 anos, por exemplo, "esquecendo" do que já havia aprendido. Isso piorou quando você a forçou a permanecer na escola, deixando-a chorando o tempo todo. Isso só fez piorar a condição emocional dela.

    O MELHOR a fazer é deixá-la EM CASA COM VOCÊ para que ele recupere a confiança emocional.
    Lembrando que nessa idade, ela ainda precisa muito de sua companhia para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado.
    Brinque bastante com ela quando estiverem juntas, leia estórias com livrinho interessante, com ela sentado no seu colo, passe tempo com ela e vá ensinando COM CALMA tudo de novo, como usar o peniquinho, etc…

    Caso ela demore, não se preocupe e respeite o tempo dela para se recuperar de tudo isso.
    Não se preocupe com a escola, pois ela poderá esperar ainda um tempo e nem por isso se tornará menos inteligente!
    Fique com ela em casa e pense na escola somente no segundo semestre no ano que vem. Ela precisará desse tempo!
    Acima de tudo, tenha muita paciência com ela pois ela precisa de colo e de sua proteção.

  18. Gostaria de saber como procedo com a adaptação na escola do meu filhinho de 2 anos 5 meses ao colégio, já que trabalho longo de casa em período integral ( 08 as 17). Outra informação : como percebo os sinais na criança que devo parar de trabalhar ? Trabalho desde de que o meu pequeno nasceu, ele ficava com a Babá e eu quando chegava em casa e aos finais de semana assumia os cuidados. Ele está crescendo e as vezes me sinto culpada por não estar perto. Quais os sinais meu filho pode apresentar de que algo não vai bem?

  19. Marilena responde:
    Só posso lhe dizer que, nessa idade, seu filho ainda precisa muito de você ele.

    A crianças, antes dos 3 anos, pouco aproveita da escola, pois além de não existir socialização nessa idade, a criança sofre com a ausência da mãe. Birras, afastamento emocional da mãe, demonstrações de rebeldia, doenças frequentes, alergias (que são em sua grande maioria de fundo emocional), tiques, etc….

    A idade ideal de começar escolinha é aos 3 anos e, assim mesmo, por meio período.
    Antes disso, o aprendizado maior é na presença da mãe, para que a criança tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado e desenvolva autoconfiança e autoestima equilibrada.
    Tudo isso vem com a convivência junto à mãe e não na escola, onde a professora é obrigada a dividir atenção com outras crianças.
    A criança precisa de atenção focada e por isso é importante a convivência e vínculo de mãe-filho.

    Caso você possa, não tenha a menor dúvida em focar e investir nesse vínculo com seu filho, pois a fase dessa necessidade é agora. A medida que os anos vão se sucedendo ele precisará cada vez menos de você. O momento de aproximação é agora, que terá de ser sólido, para que continue sólido ao longo da vida, principalmente, na adolescência.

  20. Obs.: Estamos publicando diretamente aqui, pois a resposta enviada por e-mail retornou por erro no endereço.

    Olá! Descobri este site e fiquei muito feliz com tantos comentários instrutivos. Estou precisando muito da ajuda de vocês!!! Minha neném tem 2 anos e 3 meses e a um mês e meio (nas minhas férias) a coloquei na creche. Fiz a sua adaptação conforme a doutora orienta (…primeiros dias pouco tempo na creche porém o tempo todo ao lado dela; com o passar dos dias ia ficando mais tempo e me distanciando aos poucos…; mas durante todo o mês de adaptação, na chegada à creche ela chorava muito inclusive com ânsias de vômito, principalmente na penúltima semana quando a deixava lá e dizia que estava indo trabalhar mas que depois estaria voltando para buscá-la).
    Depois que ela entrava para a salinha eu retornava escondida para ficar observando-a e achei uma coisa muito estranha. Mesmo ela estando indo apenas o período da tarde e depois de ter almoçado e dormido por 1 hora e meia, ela entrava chorando muito, pedia a chupeta e falava que queria dormir. Isso me cortava o coração. Parecia que eu estava fazendo um mal para minha filha… É normal isso???Na última semana de adaptação a tia e madrinha, muito presente na criação dela e muito querida pela neném, foi quem começou a deixá-la na creche, pois simulamos uma rotina normal minha (como se eu já tivesse retornado ao trabalho) e percebemas que a separação na chegada da creche e na sua “entrega” a professora foram menos alarmantes em relação aos seus choros (pelo menos ela não fazia mais as ânsias de vômito). Mas continuo com o coração muito apertado pois quando vou na escolinha escondida no periodo em que ela já está lá, eu percebo que ela só fica de chupeta na boca (coisa que em casa ela não faz, só pede para dormir); fica o tempo todo ao lado da professora não brincando com as outras crianças; quando a prof principal vai lanchar e outra fica em seu lugar ela chora muitíssimo; na sua agenda de comunicação com os pais sempre está assinalado que ela não aceitou nem o lanche e nem o jantar (inclusive já era bastante difícil de comer e agora está pior ainda, e inclusive já perdeu 1 kg e o está me deixando muitíssimo preoculpada). Também pela manhã, todos os dias quando estou levando-a para a casa da minha mãe(pra onde ela adora ir e onde sempre ficou desde quando voltei a trabalhar – com 5 meses de idade), quando falo que à tarde ela irá para creche brincar com os amiguinhos ela começa a chorar muito e fala que não quer ir… O que devo fazer??? Também achei que depois que ela entrou na cheche ficou mais agressiva inclusive muitas vezes nos dando tapa na cara (minha e do pai) quando a contrariamos. Isso também pode ser alguma reação de insatisfação com este momento novo de creche??? Posso estar criando algum trauma para ela??? Ela sempre foi uma neném muito boazinha, calma e feliz!!! Obrigada pela ajuda e atenção

  21. Marilena responde:
    Se você leu no blog o artigo sobre as Características da criança de 2 a 4 anos (<=link), viu que ainda é cedo para colocar sua filha na creche mesmo porque, nessa idade, NÃO existe socialização. Exatamente por isso que sua filha não interage com outras crianças.

    Essa socialização só estará mais estabelecida por volta dos 3 anos (ou mais um pouco) quando é a idade ideal para que a criança inicie a escola. Portanto, o processo de adaptação está vinculado a crianças que iniciam a escola nessa idade (por volta dos 3 anos) e não antes,

    Sua filha precisa, nesse momento, de sua companhia, pois somente através desse vínculo afetivo ela terá um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado.

    Proteja sua filha nesse sentido e espere até que ela complete os 3 anos ou mais um pouco (sem haver, em absoluto, nenhum prejuízo para o aprendizado dela).

    Leia depois no blog os artigos (links):
    Tempo com Filhos e
    Depoimento de uma Mãe

  22. 21/07/2011 Comentário recebido:
    Meu filho tem 4 anos, aos 2 entrou na escola. Chorou muito, levou 1 mês p/ adaptar-se. Aos 3 a escola era a mesma, não chorou. Aos 4 teve que mudar de escola, pois a outra foi transferida. No primeiro semestre chorou muito, até vomitava após o choro, durou mais de 2 semanas. Agora que voltou das férias não chora, mas está vomitando qdo chega. A professora diz que depois ele fica super bem. Só que já tem 1 semana e não passou e tenho medo dele enfraquecer. Marquei psicologa, só p/ agosto. Como ainda tem 10 dias queria saber se tem alguma coisa que eu posso fazer neste hiato.
    Sei do erro que cometi na educaçao: superproteção. Tb é criado mais com adulto, a avó q toma conta tb é superprotetora e o pai é carinhoso, mas fica mais distante pq qdo chega está dormindo. As crianças do predio estudam no turno oposto.
    Todo dia ele me pergunta se não vamos esquecê-lo na escola! Isso nunca aconteceu!
    É inteligente e esperto. Já escreve o nome, sabe as letras, usa computador para assistir desenho. E o mais importante é criado com muito amor. Porém nunca ficou com empregada, sempre com alguém da familia perto.
    Esqueci um ponto principal, sou ansiosa e devido ao trabalho estou sempre correndo contra o tempo, mesmo em casa, o estresse deve estar passando p/ele.

    Marilena responde:
    Quanto mais cedo a criança vai para a escola, mais cedo, também, ela se cansa.
    O ideal é que a criança inicie a escola somente por volta dos 3 anos, mesmo porque antes disso, não existe socialização e ela precisa muito da companhia da mãe para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado.

    Você, também, não relata se fez o processo de adaptação com ele. Este processo precisa ser feito de maneira completa para que a criança fique bem adaptada e não apresente problemas futuros.

    Se ele ainda provoca vômitos seria interessante que voce o retirasse uns dias da escola até a consulta com a psicóloga infantil para que ela avalie corretamente o que vem acontecendo.

    Quando a criança inicia a escola muito cedo, ela de fato se sente “abandonada” e provavelmente por isso, seu filho pergunta se você não o esquecerá na escola.

    Você fez bem em buscar ajuda de uma psicóloga.

  23. 21/01/2012 Comentário recebido:
    Gostaria de saber se devo ou não trocar minha filha de escola, pois ela estava em uma creche desde os 10 meses até os 2 anos e 6 meses. Porém, por problemas de horário na outra creche, precisei trocá-la.
    Comecei em 26/12/11 a adaptação, porém não tive nenhuma orientação da escola de como fazer, ficou tudo muito solto… Fiquei meia hora no primeiro dia na sala com ela, no segundo fiquei meia hora do lado de fora da sala e ela me pedindo para entrar, porém não quis entrar pois achei que estava atrapalhando ela a se acostumar com as berçaristas, pois só ficava grudada no meu colo e não deixava nenhuma criança chegar perto de mim, estava meio estressante. Então fiquei lá fora e fui embora depois.
    Nos dias seguintes, deixei e fui embora, porém ela ficava chorando muito. Eu ia embora chorando pela rua e ligava pra creche depois e elas me diziam que ela já tinha se acalmado e estava brincando.
    Assim continuou minha luta até semana passada quando ela começou a entrar sem chorar já durante os três últimos dias.
    Não estão querendo mais que eu leve e busque na sala, querem que eu entregue ela para a cordenadora no portão, parece que estão escondendo algo… Não sei o que fazer… Não estou com meu coração em paz,
    Não sei se ela se adaptou ou se somente viu que não tinha jeito e parou de chorar.
    Resumindo, não estou feliz com ela lá, mas ao mesmo tempo, fico com medo de colocar em uma outra creche que vi aqui perto e acontecer a mesma coisa ou algo pior…
    Será que mudar denovo será traumatizante, pois afinal ela só tem 2 anos e 7 meses?
    Preciso trabalhar e ela tem que ficar de 7 às 19h na creche… preciso de ajuda urgente!!!

    Marilena responde:
    Você deve retirar sua filha, imediatamente, dessa creche e buscar outra!
    Pior em fazer a troca de creche, é deixá-la nesta onde ela está.
    Procure uma que tenha o processo de adapatação por completo, tal como descrito no post acima e mesmo que a futura creche deixe por sua conta esse processo, sem muitas explicações, siga você o processo descrito.
    Faça isso e proteja sua filha nesse sentido.!

    28/01/2012 Retorno da mãe:
    Muito obrigada pela sua orientação. Vou contar como ficou resolvida está situação da minha filha. Graças a Deus essa semana eu e ela já estamos em paz.
    Na segunda feira fui com meu marido e minha filha conhecer uma nova creche, logo que chegamos fomos muito bem recebidos e ela falou logo: “mãe, quero estudar aqui”. Gostei de lá, apesar da estrutura não ser tão bonita como da outra, as funcionárias eram muito atenciosas, a diretora uma fofa… expliquei toda a situação para ela, e matriculei minha filha lá. A diretora disse que iria fazer de tudo para criar um clima feliz quando minha filha chegasse, para ela ficar com uma imagem boa de escola e tirar aquele medo… Quando chegamos levaram ela no parquinho com as crianças, eu fui e fiquei um pouco, depois que ela se enturmou eu sai para ver a reação e ela nem ligou, só queria brincar… rs.rs.rs. Fiquei em outra sala observando a movimentação e dava para ouví-la, estava ótima, ficamos só 2 horas para não cansar como a diretorta orientou.
    No dia seguinte chegamos e ela entrou direto com as tias, parecia que já estudava lá há meses… me deu tchau e disse que ia na piscina… fiquei na secretaria e, às vezes, ia vê-la, ficamos lá durante quase 4 horas e por ela ficariamos mais.
    Senti um clima muito familiar, parece a casa da vovó… tem quintal, parquinho, banho de borracha e muitas tias o tempo todo com as crianças, e a dona que é a diretora está sempre cuidando das crianças também…
    No terceiro dia ela entrou super bem, me deu tchau e foi brincar, fiquei duas horas lá e duas horas em casa. Já no quarto dia a diretora disse que poderia ficar ou não, pois como ela estava super bem, ficaria a meu criterio, resolvi ir trabalhar mas voltei cedo, ela ficou durante 6 horas. Na sexta feira a mesma coisa, ela nem queria ir embora, voltou e disse que queria comer o papa da creche pra eu esperar ela, rsrsrs jantou mesmo antes do horário, pois eram 16:30, mas a tia viu o interesse dela e levou para jantar, depois fomos embora e ela agora vai até cantando no carro… Gracas a Deus agora minha filha tá normal, essa é minha filha, não aquela criança que chorou durante um mês pra ir pra escola… E pra finalizar, fui cancelar a matricula na outra e a coordenadora ainda deu a entender que eu que era uma mãe problemática e que a adaptação tinha que ser pra mim… é mole?
    Segui meu coração de mãe e suas orientações e agora estou em paz!!!!
    Muito obrigada e que Deus abençoe seu trabalho.

  24. Oi Gostei muito desse site, gostaria de saber o que eu posso fazer, tenho um filho de 2 anos, está na escola desde de 1 ano e 2 meses, sempre chorou muito na entrada, mas a psicologa da escolinha disse que não poderia entrar com ele nos primeiros dias pois ele não se adaptaria, chorou por praticamente 2 meses e depois parou de 1 mes para cá voltou a chorar todos os dias, e desde que entrou na escola, tem medo de ficar com as pessoas, tenho procurado dar atenção para ele quando estou em casa, ele é amavel comigo e com meu esposo, mas com os outros é agressivo, estou preocupada, me ajude.

  25. Marilena responde:
    O ideal é que a criança comece na escola somente por volta dos 3 anos ou mesmo até 3 anos e meio.
    Isso porque aos 2 anos, NÃO existe socialização, por isso é tão comum os choros, as brigas, tapas e puxões de cabelo, nessa faixa etária.

    A socialização começa A PARTIR dos 2 anos e irá se estabelecer POR VOLTA dos 3 anos variando mesmo assim entre crianças.
    Por isso comportamentos choros e/ou agressivos são perfeitamente normal dentro dessa situação.
    O mais importante, nesta idade, é que a criança fique na companhia da mãe para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado. É a fase do fortalecimento do vínculo emocional com a mãe, importantíssimo para a vida futura.

    Caso você trabalhe fora e necessite de fato deixá-la na escola, é FUNDAMENTAL que ela passe pelo processo de adaptação. Infelizmente, ainda há algumas escolas que desconhecem esse processo que existe há mais de 30 anos!
    Como a escola onde ela está não tem essa adaptação, o melhor é retirá-lo da escola e buscar outra que tenha esse processo para o bem de seu filho.

    A criança pára de chorar apenas por cansaço (como foi o caso de seu filho), mas não significa absolutamente que ele está adaptado; apenas que se conforma com a situação, pois não há nada a fazer.

    Ajude seu filho e tente encontrar uma escola eficiente e mais completa, preocupada com a criança e seu estado emocionall.

  26. 17/12/2011 Comentário recebido:
    Estou gostando muito do site. Mas gostaria de uma opinião para meu caso especificamente. Tenho um filho de 1 ano e 4 meses. Ele começou a passar 1/2 perído na escolinha há 1 mês, e o resto do dia fica só comigo. Antes da escolinha eu sempre cuidei dele sozinha na maior parte do tempo. O pai trabalha e está conosco somente a noite. O que me preocupa são alguns comportamentos que estão se intensificando nos últimos meses. Ele me lambe, me morde, me belisca, puxa meu cabelo… muitas vezes por dia. Compreendo que algumas vezes é para pedir atenção (p. ex qdo estou ao telefone ou cozinhando), mas a frequencia com que ele faz isso está se tornando muito alta. O que tenho feito é sempre dizer não como muita firmeza, mas na maioria das vezes ele ri. Agora estou tentando sair de perto dele. Mas mesmo assim, parece que a cada dia está ficando pior. O que mais eu poderia fazer? Obrigada!

    Marilena responde:
    Seu filho não faz isto para chamar sua atenção. Ele bate em você por perceber que você o colocou longe dele, na escolinha.
    Ele ainda é muito novinho para começar na escola, mesmo porque nessa idade ainda não existe socialização.
    Verifique a possibilidade de você retirá-lo da escola e retornar com ele somente por volta dos 3 anos, quando ele terá mais condições de ficar longe de você e conviver com outras crianças.
    Leia o artigo (link): Tempo com os filhos

  27. 02/03/2012 Comentário recebido:
    Tenho um filho de 2 anos. Por mim ele não iria para a escolinha, mas ele vai por necessidade mesmo… Enfim, ele está com muita dificuldade de interagir com os coleguinhas. Ele chora só de falar na palavra “escola”. Não estou sabendo como lidar com ele, pois quando tento conversar, ele começa a chorar como se eu tivese brigando com ele… Eu sei que é muito cedo para ele ir para escola, mas eu não tenho outra opção. Por favor, me ajude a encontrar uma maneira pra que ele não fique tão sofrido ao ir para escola.

    Marilena responde:
    Não há muita alternativa, nessa situação, pois, de fato, a criança sofre quando começa tão cedo na escola.

    É necessário, no entanto, que o processo de adaptação seja feito POR COMPLETO para que ele, pelo menos, fique razoavelmente bem, longe de você.

    Você não relata se a escola tem esse processo e se você o fez.
    Verifique isso.

  28. 01/03/2012 Comentário recebido:

    Olá, achei esse site muito interessante e me identifiquei com muitas mães que estão passando ou passaram pelo periodo de adaptação de seus filhos. Gostaria de um apoio, pois estou passando pelo mesmo problema. Meu filho tem 2 e 6 meses e acabei de colocar ele na escola. No primeiro dia ele ficou um pouco desconfiado da situação, ficou bastante no meu colo, mas em alguns momentos foi brincar. No segundo dia, precisei deixar ele o periodo todo, não tive opção e no terceiro dia, também. No início da outra semana, comecei a ficar com ele mais tempo. Chegava a ficar na escola umas 3 horas, isso durante 3 dias e nesses 3 dias ele simplesmente não me largava. No quarto dia deixei ele chorando e aos gritos, mas fui buscar ele mais cedo e foi assim por uns 3 dias. Eu monitorava ele pela câmera que tem na escola e percebia que ele estava bem, brincando e tudo mais.
    Depois do carnaval, achei que ele fosse regredir muito e para minha surpresa ele foi no colo da professora sem chorar fez um biquinho, mas nao chorou.
    Essa semana ele foi no colo da professora, mas ficou com os olhos vermelhos e me chama tanto mamãe quanto chama com as mãos, porém o comportamento dele em casa está um caos. Ele chega em casa e se transforma, chora, grita, briga não quer nada. Eu procuro ter o máximo de paciência com ele, mas às vezes não consigo e acabo brigando
    com ele. Não sei mais o que fazer, por favor me ajude nessa fase. obrigada!

    Marilena responde:
    Esse é um caso clássico do que acontece quando a criança vai para escola nessa idade.

    O ideal é que a criança comece na escola somente por volta dos 3 anos ou mesmo até 3 anos e meio e, assim mesmo, por meio período e fazendo todo o processo de adaptação. Isso porque aos 2 anos, NÃO existe socialização, por isso são tão comuns as mordidas, brigas, tapas e puxões de cabelo, nessa faixa etária.

    A socialização começa A PARTIR dos 2 anos e irá se estabelecer POR VOLTA dos 3 anos variando mesmo assim entre crianças. Por isso comportamentos agressivos são perfeitamente normais e acontecem com frequência. O mais importante, nesta idade, é que a criança fique na companhia da mãe para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado. É a fase do fortalecimento do vínculo emocional com a mãe, importantíssimo para a vida futura.

    Como você não fez o processo à risca, alterações aconteceram, nessa fase, principalmente porque seu filho ainda é muito novinho e precisa de sua companhia. Portanto, dentro de todo essse quadro, o comportamento dele em casa está perfeitamente compatível com o que ele vem vivendo, Seu filho, ao contrário, NÃO está adaptado. Ele está apenas “conformado” em ficar longe de você e na escola, pois, na verdade, ele não pode fazer nada; apenas se conformar.

    Ele em casa, manifesta essa insatisfação através do comportamento, pois essa é a única maneira dele se expressar já que não existe ainda vocabulário desenvolvido.
    Reveja a necessidade real de seu filho iniciar a escola nesse momento ou se você pode ficar com ele em casa (fundamental, nesse momento) e, somente mais tarde, mesmo no ano que vem, iniciar novamente na escola, mas fazendo o processo de adaptação por completo, conforme o artigo escrito.

    Analise tudo isso.

  29. 10/04/2012 Comentário recebido:
    Li vários artigos seus e gostei muito! Principalmente porque vejo que não só eu tenho dificuldades! Tenho um filho de 2 anos e 5 meses. Ele começou a ir pra creche aos 11 meses, pois eu trabalho fora.
    No começo ia só à tarde, depois passei a levá-lo duas vezes o dia todo e este ano em período integral todos os dias. Ele passou bem pela fase de adaptação e sempre gostou de ir. Só que agora não quer mais ir, só de ver o uniforme começa a reclamar. Na escola não quer ficar com os colegas, só com as professoras, não quer as atividades extra como inglês, capoeira… Não tivemos nenhuma mudança em casa. Nosso dia-a-dia está igual. Tenho muita pena de deixá-lo pois ele parece realmente triste! As professoras de lá são super carinhosas! O que faço?

    Marilena responde:
    Seu fiho começou muito cedo na escola, quando o ideal é que a criança comece somente por volta dos 3 anos.
    À medida que a criança vai crescendo e entendo melhor o que se passa ao redor dela, começa a reagir. Esse é o caso de seu fiho.
    Além disso, a criança logo começa a apresentar problemas de adaptação e comportamento, como parece ser o caso dele.
    Começar cedo não é nada benéfico para a criança, mesmo porque não existe socialização antes dos 2 anos.
    Verifique a necessidade real de seu ffilho estar na creche o dia todo.
    Leia o artigo (link) *Tempo com Filhos*

    Retorno da mãe:
    Nem sei como agradecê-la pela resposta!
    Já tirei ele do turno integral e estou levando somente à tarde. Alterei meu dia-a-dia e estou trabalhando só por meio período. Mas extremamente feliz e aliviada com a decisão!
    Obrigada!!!

  30. adorei sua materia meu filho tem 2 anos e 2 meses e por pressao de alguns vc acaba ficando confusa qto a educaçao do seu filho, ele nao vai a escolinha mais ouvia muito dizer q é bom coloca-lo desde bebe etc etc, sempre fui contra essa atitude ,ja que posso ficar com ele em casa, mais falavasse da socializaçao, de ficar atrasado em relaçao a outros q vao mais cedo a escolinha , que era bom pra ele brincar etc.. etc, me sentia culpada, pensando que ele poderia ta perdendo no mundo infantil, que eu era egoista de n querer deixa-lo na escolinha, mais depois q li sua materia confesso que me deu um enorme alivio, pois a minha pretençao era coloca-lo mais tarde com 4 anos e agora tenho a certeza de q nao estou fazendo nada de errado obrigada pelas suas dicas ! Amei..
    Claudia Camargo SP

  31. Obs.: Publicamos aqui, pois a resposta enviada por e-mail retornou por erro no endereço.
    Olá Dra,
    Parabéns pelos artigos, já consigo perceber parte dos meus erros no processo que vou descrever…Tenho uma filha de 2 anos e 3 meses que nasceu e se criou até essa fase na casa dos meus pais, onde moravamos enquanto aguardamos receber nosso apartamento. Ela sempre foi muito ativa e até um pouco inquieta. Trabalho o dia todo e ela sempre ficou com a minha mãe. A presença do pai sempre foi menor porque ele viaja bastante. Há exatamente 15 dias fizemos nossa mudança e pela distância ficou impossível permanecer com a avó e terminei decidindo por uma escola de turno integral das 07:30hs às 16:30hs bem próxima ao condomínio. Iniciei ela numa quinta-feira e nesse primeiro dia permaneci por 2hs na escola. Ela logo foi sentando e aparentemente interagindo até bem. Alguns dias depois percebi algumas mudanças no comportamento dela em casa, fazendo birras bem mais fortes que antes, com muitos gritos e choro. Entendi que era seu sinal de protesto pela mudança, também notei um apego ainda maior comigo e uma certa rejeição ao pai. Quando ela acorda eu já não estou, ele sai um pouco mais tarde e quem a leva para escola é uma senhora com quem ela já tinha algum convívio. Ligo todos os dias após o almoço para saber como vão as coisas e ontem a professora me fez o seguinte relato:
    …”Mãe a partir de agora vamos precisar fazê-la entender que existem limites, uma rotina e o significado do não. Ela precisa permanecer na sala, mas só quer ficar no parque, saindo a todo momento, por isso a professora colocou sua cadeira na porta para mantê-la na sala. Ela chorou muito, atirou a chupeta no chão, tirou a chupeta do coleguinha, pegou a atividade e riscou toda. No momento do lanche derramou seu suco e não satisfeita tentou derramar o dos colegas. Nós não permitimos e ela voltou a chorar muito, explicamos que não pode, que os amigos vão ficar tristes com ela. Mas não se preocupe porque tudo esta sendo conduzido com paciência e carinho”…
    Preciso muito da sua opinião à cerca de tudo isso, porque fiquei muito angustiada e por enquanto não tenho como sair desse trabalho. Agradeço desde já!

  32. Marilena responde:
    Sua filha, ainda, é muito novinha para iniciar na escola. Mesmo porque, nessa idade, NÃO existe socialização.

    O ideal é que a criança comece na escola somente por volta dos 3 anos ou mesmo até 3 anos e meio e, assim mesmo, por meio período e fazendo todo o processo de adaptação tal como descrito acima. Isso porque aos 2 anos, NÃO existe socialização, por isso são tão comuns as mordidas, brigas, tapas e puxões de cabelo, nessa faixa etária.
    A socialização começa A PARTIR dos 2 anos e irá se estabelecer POR VOLTA dos 3 anos variando mesmo assim entre crianças. Por isso comportamentos agressivos são perfeitamente normais e acontecem com frequência.
    O mais importante, nesta idade, é que a criança fique na companhia da mãe para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado. É a fase do fortalecimento do vínculo emocional com a mãe, importantíssimo para a vida futura.

    Portanto, a entrada dela na escola foi muito prematura e a adaptação, pelo seu relato, foi totalmente inadequada, conforme a leitura do artigo que você leu sobre adaptação na escolinha.

    Avalie sua necessidade de trabalhar fora ou de ter de deixá-la na escola, como você já tem uma pessoa de confiança que possa ficar com ela em casa, o melhor nessa idade é ainda deixá-la em casa e iniciar a escola somente por volta dos 3 anos ou mesmo mais. Isso não irá, de maneira alguma, atrapalhar o desenvolvimento de sua filha.
    No momento, ela precisa muito mais de sua companhia.

    Leia o artigo (link) Tempo com Filhos

  33. 20/02/2013 Comentário recebido:
    Boa noite. Meu filho não passou pelo processo de adaptação na creche, pois as professoras e diretoras simplesmente não nos deixam ficar na escola pra acompanharmos esse inicio de adaptação. Nos dois primeiros dias, o Gustavo meu filho de 2 anos e 10 meses queria muito ir pra escola, fazem 4 dias que ele esta indo, e simplesmente agora ele não quer ir, chora muito, quer dormir comigo, e quer mais atenção, eu converso muito com ele e também deixei ele levar o ursinho de transição dele. Vou buscá-lo mais cedo, porém não me deixam ficar com ele na escola, ele é muito inteligente, conta em ingles, conta até 10, reconhece letras, e decora músicas, também não usa mais fraldas, nem pra dormir,e não mama mais mamadeira, as crianças da creche que ficam na sala dele, ainda não passaram por este processo. Mas enfim, tenho duas dúvidas, a primeira é saber se posso tentar adiantá-lo se isso faria bem a ele, e segundo, gostaria de saber, se tenho “direito” de fazer este processo de adaptação, mesmo sendo uma escola publica (creche). O irmão dele estuda na mesma creche, e elas não deixaram nem ele ir na salinha do irmão vê-lo, tanto que o Gustavo pensou que o irmãozinho tinha ido embora e ele estava completamente, sozinho. Podem me ajudar? Estou precisando muito de um conselho técnico… Obrigada Adoro este site!

    Marilena responde:
    Seria importante você buscar uma escola que tivesse esse processo.

    Caso seja impossível para você buscar uma outra, saiba que somente “negociando” com a creche você poderá fazer essa adaptação.

    Não é adequado que você o “adiante”, pois ele nem está em condições emocionais; ou seja, não está adaptado para reter qualquer aprendizado. Por isso a importância de uma adaptação bem feita, pois somente uma criança estável emocionalmente pode evoluir no aprendizado.

    O ideal seria que você retirasse seu filho da escola, pois o ideal é que a criança comece somente POR VOLTA dos 3 anos na escola ou mesmo mais.

    Leia (links):
    Adaptação na Escolinha
    Tempo com Filhos

    23/02/2013 Retorno da mãe:
    Consegui negociar com a creche, começamos o processo de addpatação a 2 dias, e ele não chora mais! Ele está feliz. Muito obrigada pelo conselho! Foi de suma importancia!

  34. 23/02/2013 Comentário recebido:
    Sou professora em uma creche, meus aluninhos estão em fase de adaptação, com idade de um 1 a 3 anos de idade. O problema é que os próprios pais querem ”largar” seus filhos o dia todo na creche e arrumam várias desculpas, não respeitam o horário para buscá-los mais cedo. Não generalizando, são alguns
    pais, mas essa minoria é quem tem os filhos que estão chorando mais…
    Faço de tudo, canto, conto estórias, brinco, converso muito, mas nada que eu faça satisfaz a criança, estou com esse problema com 4 crianças, um chega até vomitar todos os dias, e para variar, a coordenadora pedagógica pediu para trabalharmos o projeto identidade com as crianças, na minha opinião deveria ter sido trabalhado um projeto de adaptação com atividades voltada a esse tema.
    Não sei que estratégias utilizar com essas crianças chorando o dia todo, já que o jeito é ficar com elas sem respeitar a adaptação de cada uma.
    Tanto a coordenadora, como os próprios pais não estão nem aí para respeitar a redução do horário para que essas crianças se adaptem sem traumas futuros.

    Marilena responde:
    A estratégia deve ser feita COM OS PAIS e não com as crianças.
    Esses pais devem ser chamados e as crianças devem ser aceitas SOMENTE se as mães concordarem em fazerem o processo de adaptação.
    Isso deve fazer parte do “contrato” desde o momento da matrícula. Caso contrário, a mãe deverá retirar a criança da escola.

  35. Muito bom este artigo. Gostaria de alertar aos pais que é necessário essa adaptação, pois vocês não fazem idéia do dia a dia das crianças em uma creche ou escolinha. Já fiquei com meu filho 15 dias levando e trazendo para se adaptar e vi crianças desesperadas procurando a mãe ou o pai, e como diz o artigo com o tempo ela se acostuma e não se adapta. A professora vai dizer que ela (criança) se acalmou, mas eles ficam tão tristinhos que dói o coração. Beijos a todos e vamos cuidar mais dos nossos filhos. “VAMOS ADOTÁ-LOS COM A ALMA E CORAÇÃO”

  36. Excelente artigo. Amei! Não sou psicóloga, mas sempre estou em busca de matérias, informações, preciosidades, livros que me ajudem a cuidar e educar melhor meu filho. Marilena, em muitas coisas penso igual a você. Sempre achei que a criança pequena que vai a escola se acostuma por não ter outra opção. Gostei também do comentário da leitora Cristiane que diz “Vamos adotá-los com a alma e coração”, isso é importantíssimo, pois ser mãe é ter uma missão e para cumprí-la devidamente é necessário amor, alma, coração. Parabéns à todas as mamães que estão sempre interessadas em serem cada vez melhores. Ser mãe é um aprendizado diário, desde o dia que passamos a sermos mães e acredito pela vida toda, afinal cada fase é uma novidade.

  37. Amo este artigo, quanto mais eu leio, mais aprendo!
    Eu me preocupo muito com meu filhote, principalmente com o psicológico dele… tanto agora no presente quanto no futuro!
    Vale a penar tirar um tempo nosso e pedir opiniões sobre o comportamento da criança, principalmente de cada fase que é novidade como disse Viviane acima…
    Acho que no mundo em que vivemos hoje em dia, as crianças aliás,”o ser humano” precisa de muita atenção!

  38. Obs.: Publicamos diretamente aqui porque a resposta enviada por e-mail retornou por erro no endereço.
    meu bebe tem 3 anos e acabou de entrar na creche.so que eu fico muito angustiada,pois hoje quando deixei ele,o bichinho ficou no cantinho com olhar perdido.dai me bateu um desespero,uma enorme vontade de pega-lo e ir embora,mas eu sei que não podia fazer isso dai o meu dia acabou!o que eu faço para nos dois nos adaptarmos a isso.ate porque ele e meu caçulinha tenho uma menina de 7 anos,mas ela nunca ficou na creche dai penso que estou sendo injusta com meu bebe.ele e meu chodozinho quase nunca deixava ele nem com a minha mae por isso sinto a falta dele o dia todo.

  39. Seu filho pode perfeitamente esperar até completar 4 anos. Depois disso, procure uma escola que tenha o processo de adaptação POR COMPLETO conforme o artigo, para que ele fique bem na escola.
    Leia (link): Tempo com Filhos

  40. ola, meu filho tem 2 anos e10 meses e esta pedindo demais pra ir a escola, acho que e porque ele e muito sozinho comigo, mas acho que ele quer ir tambem por causa dos brinquedos que tem nas escolas e dos coleguinhas já tive indo nas escolas pra avalia-las, mas vendo alguns comentários e respostas da especialista fiquei com um pouco de medo de prejudica-lo colocando na escola com essa idade
    preciso de uma orientação
    sera que devo coloca-lo agora na escola? ou espero completar os 3 anos que completa em agosto
    o que devo fazer?

  41. Você poderá colocá-lo agora, desde que faça o processo de adaptação POR COMPLETO.
    Procure uma escola que tenha esse processo para que ele fique bem e não venha a apresentar problemas mais tarde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s