A Mente entre 2 e 4 anos

Essa é uma passagem importante, pois na idade de 2 anos a criança desconecta o EU do OUTRO. Antes dos 2 anos, a criança não tem noção exata de quem ela é. Por isso, se olha no espelho e não se identifica na própria imagem. Não sabe que é ela mesma que está vendo. Aos 2 anos essa diferenciação já acontece e ela consegue “controlar” a imagem no espelho.

Nesta fase a criança possui apenas o raciocínio concreto.

O abstrato ainda não está formado. Exatamente por isso, que os pais devem cuidar da linguagem que usam. Se você diz “Preciso voar daqui, agora!” ela entende literalmente o que você diz. Ou, “Você parece uma bola de tão gordinho” , faz a criança se imaginar como uma bola. Mas, por que isso é tão importante? Porque, é nesse período que as imagens ficam impressas em nossa mente. Elas podem interferir em nossa imaginação e nos acompanham por muito tempo.

É a fase em que o conhecimento das palavras aumenta, e o aprendizado dos nomes do corpo também. A criança já aprende nomes como joelho, pescoço, orelha….e o nome da genitália masculina e feminina. Geralmente, os pais nomeiam corretamente diferentes partes do corpo, mas nessa área, por um constrangimento dos próprios pais, nomes diversos são dados.

No caso das meninas, nomes como: barata, aranha, perereca e vassoura aparecem como nomes “alternativos” e para os meninos,: pistola, passarinho, documentos, etc… idem. No caso das meninas, são nomes que sugerem nôjo, mêdo e que assustam. São noções passadas e fixadas nesta mente, na fase do concreto e que leva, mais tarde, a encontrarmos adolescentes e jovens com uma imagem distorcida do funcionamento da genitália. Geralmente, apresentam um desconhecimento dessa parte do corpo. Levam uma sensação de “não se pode chegar perto”, é “nojento” ou “não sei direito como funciona”.

Se percebe, nesta faixa de idade, o menino segurando seu pênis, frequentemente, com mêdo de que ele de fato possa “sair voando”. A tentativa de disciplinar o filho com esta atitude, ou “mania”, é frequente. Mas os pais ignoram que este comportamento é causado por eles mesmos. Ou, eles se assustam quando vêm o pai preocupado com seus “documentos” que sumiram.

Como é uma fase onde a criança já começa a perceber o OUTRO, ela já diferencia a expressão de raiva ou de contentamento nos pais. Por isso, não se deve permitir que a criança permaneça no quarto dos pais e presencie a relação sexual, principalmente porque é vista como uma agressão, e não como um ato amoroso. Geralmente, é percebido como uma atitude de agressão do pai, em relação, à mãe.

Como não há pensamento lógico nessa fase, é comum no supermercado a criança segurar um pacote de balas, por exemplo, e não querer largá-lo na saída, no caixa. A mão se desespera, neste momento, interpretando tal atitude como rebeldia. Mas para a criança não existe a conclusão de que, poderá receber depois o pacote de balas. É necessário explicar, e levá-la a observar o processo do caixa, para que ela entenda. Pois ela percebe somente o que vê.

Para entender como o OUTRO se comporta, a criança faz a brincadeira de vestir a roupa da mãe, usar seus sapatos, pois assim vestida como a mãe, ela É a mãe. Então, poderá entender como ela, sua mãe, se comporta. As brincadeiras de pai, mãe, médico, etc… acontecem de maneiras repetidas. Quanto mais ela repetir e fizer esse exercício, mais ela aprenderá o comportamento do OUTRO. (Veja este vídeo ilustrativo…)

É a fase também do Comportamento Aprendido. Se ela machucou a mão e recebeu um carinho, uma atenção maior, ela irá repetir tal fato. Dirá que está com a mão machucada, para novamente receber o mesma atenção. Muitos pais repreendem os filhos, neste momento, imaginando se tratar de uma mentira. Não há nesta fase a consciência do saber enganar o outro. Da mesma maneira que, quando você a proíbe de comer algo e se ausenta. Ela come e como não conclui, não entende como a sua mãe sabe que foi ela que comeu. Também não se trata de “mentiras”. Quando fala sobre monstros, ou conta estórias fantasiosas em excesso. É uma fase de grande imaginação criativa.

Como os meninos têm mais atividade cerebral do lado direito, preferem os carrinhos, pois lidam melhor com espaço e movimento. Já as meninas, têm os dois lados em atividade e lidam melhor com emoções e linguagem. Enquanto as meninas falam mais, mesmo sozinhas, os meninos já começam a preferir jogos com maior contato físico.

É a fase das mordidas, tapas e dos puxões de cabelo. Este é um comportamento percebido como “agressivo”, no entanto, é perfeitamente normal para esta idade. Isto porque o vocabulário ainda não está desenvolvido e a criança manifesta o que quer através deste comportamento. Em situações assim é suficiente, sempre que ela for bater, segurar a mão dela e dizer: “NÃO PODE; ISSO FAZ DODÓI”.

Antes dos 3 anos, NÃO existe socialização. Ela começa a ser formada a partir de 2 anos e se estabelecendo, por volta dos 3 anos. Exatamente, por isso, que o ideal é que a criança inicie a escola somente por volta dos 3 anos (sem prejuízo algum de aprendizado) e assim mesmo por meio período. Nesse período, é importante que a criança fique com a mãe para que tenha um desenvolvimento emocional saudável e equilibrado. Caso a criança inicie a escola é importantíssimo que a mãe faça o processo de adaptação por completo (<= Leia o artigo neste link).

São diferenças e características fundamentais que ajudam aos pais a terem maior exatidão na conduta com os próprios filhos.

Tendo recebido muito pedidos de sugestões de livros sobre esta faixa de idade, recomendo as publicações da Clínica Tavistock. Em português, publicados pela Editora Imago :

  • Compreendendo seu filho de 2 anos – Susan Reid
  • Compreendendo seu filho de 3 anos – Judith Trowell
  • Compreendendo seu filho de 4 anos – Lisa Miller

Um website bastante interessante é o da Supernanny, em inglês.

Como recebemos inúmeras perguntas sobre esta fase de 2 a 4 anos das crianças procuramos organizá-las para facilitar a consulta para quem possa se interessar. Além de algumas estarem, logo abaixo, em ordem cronológica, as perguntas recebidas e as respostas dadas estão, também, compiladas nos seguintes grupos/links:

  1. Criando Um Ambiente de Aprendizado…
  2. Comportamento, Disciplina, Agressividade
  3. Manias e Tiques
  4. Desenvolvimento (Fala/Vocabulário, Desenvolvimento Motor)
  5. Adaptação na Escolinha
  6. Timidez e Auto-estima fragilizada
  7. Identificação sexual
  8. Sexualidade nesta fase?
  9. Amamentação nesta fase
  10. Difícil colocar para dormir
  11. Ciúmes de um dos pais
  12. Tão tranquilas que preocupam…
  13. Chorando muito…
  14. Medos…
  15. Alimentando-se pouco…
  16. Largando as fraldas...
  17. Preferência por um dos pais
  18. Largando a chupeta
About these ads

92 opiniões sobre “A Mente entre 2 e 4 anos

  1. Meu filho de 2 anos há cerca de 3 semanas começou a piscar muito repetidamente os olhos, às vezes até franzindo o nariz. Além da hipótese de estar com algum ressecamento nos olhos, pensei se não poderia ser um tique nervoso se desenvolvendo – mas aos 2 anos – acontece isso?

    Meu principal receio é que tenha herdado isso de mim, pois tive TOC em minha infância e adolescência.
    É possível?

  2. Marilena responde:
    Observe primeiro se há alguma coisa nos olhos como você mesma disse. Nessa idade há inúmeras alternativas. Geralmente a criança aparece com esse comportamento quando há tensão demais em casa, como por exemplo, quando há mudança no quadro de empregados, ou a mãe se ausenta mais do que o costume, ou a criança passou por algum problema de saúde, ou começou a escolinha, etc. Ou seja, primeiro é importante verificar se houve alguma mudança no ambiente da criança para depois pensar em outras alternativas. Os tiques são comuns quando uma criança, por exemplo, tem seu tempo cheio de atividade e precisa cumprir um cronograma intenso e exagerado para sua idade. Além da escola, seu tempo e preenchido por outras tarefas e ela mal tem tempo de brincar e relaxar. Tique geralmente é igual a tensão e stress. Crianças precisam ter um tempo bem mais flexível e relaxado.
    Observando o cotidiano de seu filho e as mudanças que talvez estejam ocorrendo no seu dia a dia, você conseguirá interferir e interromper esse processo. Depois me avise.

  3. …meu interesse em entrar neste site foi justamente por meu filho de 2 anos também apresentar sintomas de tic nervoso.Ele passa a mão na boca várias vezes ao dia como se estivesse limpando,só q não ha nada pra limpar…já olhei a boquinha,etc. E sempre limpa do lado esquerdo.falei alumas vezes pra ele parar mas não adianta…então resolvi ignorar até saber o q fazer.
    Penso que está sentindo falta do pai,pois meu marido está morando em outra cidade,por motivos de trabalho e vem apenas 2 vezes por semana e sempre passa o fim de semana conosco…mas eles são muito apegados…penso q o motivo do tic seja isso…
    me oriente por favor. Obrigada.

  4. Marilena responde:
    Geralmente o motivo de um tique nervoso nessa idade é por alguma alteração do ambiente da criança, de seu dia a dia. A ausência de mãe e/ou pai, rigidez na educação, cobrança de comportamento e horários ainda nessa idade é muito precoce.
    Caso isso esteja acontecendo, vc pode moderar a cobrança. Se não for o caso, tente suprir a falta do pai ficando o máximo de tempo com ele e faça as brincadeira que comumente seu marido faria com ele.
    Mas quando o pai estiver em casa, deixe os dois juntos o máximo que puder.
    Nessa fase no entanto, a presença da mãe ainda é a mais importante na formação da criança. Ele precisa muito mais de vc agora. sua atenção é mais necessária do que a do seu marido. Note, que isso não significa que a atenção de seu marido não seja importante. Ela é e sempre será significativa, mas nessa idade, seu filho precisa muito mais de vc.
    Talvez o tique esteja manifestando alguma lacuna de entrosamento entre vocês tb.
    Quando for colocá-lo para dormir, passe mais tempo com ele, contando estórias e na hora da alimentação tenha paciencia, pois as crianças nessa idade geralmente são mais lentas, se distraem com facilidade e muitas vezes a mãe perde a paciencia, exigindo que tudo “ande rápido” desde tomar banho, trocar de roupa, ir para cama, etc…
    Como o apredizado nessa idade é muito variado e há uma série de coisas a serem notadas pela criança, ela se distrai e é claro, anda num ritmo mais lento do que o desejado pelos pais. Surge aí a tensão, o que culmina num tique, por exemplo.
    Observe tudo isso e é provável que vc encontre exatamente o ponto de tensão de seu filho.

  5. Minha filha de 6 meses começou a encostar a cabeça no ombro de forma rápida e repetida a uns três dias. Pode ser um tique nervoso? Como identificar?

    Marilena responde:
    Nessa idade não há suspeita de TOC. Não se preocupe. Nem de tique. Observe no entanto, se algo não a incomoda no ouvido. Qualquer dor ou incomodo pode provocar esse movimento. Mas fique tranquila quanto ao tique ou TOC.

  6. Meu filho de 2 anos já se reconhece no espelho desde 1 ano, ele se olha e diz seu nome, quando perguntava se ele estava bonito ele ia até o espelho para ver… e também percebo que agora entende pensamentos abstratos… interpreta coisas, e tem uma capacidade de memorização e noção espacial muito grande… ele passa por coisas na cidade identificando o que é… se é um mercado diz lá tem papá… mesmo que sejam mercados diferentes… por exemplo, na minha cidade tem mar, passamos pelo mar quando ele vai para escola, na volta vamos por outro caminho, mas ele aponta (e não dá para ver) lá tem mar… na direção correta… porém começou a andar só com 1 ano e meio… mesmo estimulado… sei que não há regras mas estes comportamentos são compatíveis com a idade dele?
    Obrigado

    Marilena responde:
    Perfeitamente compatível com a idade de 2 anos. Ele está no processo de associação. Associa o caminho da ida para a escola com o mar e assim por diante.,da mesma maneira que pode associar a garrafinha de suco, com a hora do lanche, etc…. Daqui para frente, ele fará mais e mais associações.
    O fato de ter começado a andar nessa idade, não tem problema. Isso pode aconter mesmo e há crianças que nem engatinham.

  7. Meu filho tem 4 anos, e é bastante calmo, carinhoso, compreensivo, obediente, às vezes acho até demais, e nos últimos meses tenho notado que ele brinca o tempo todo fingindo que é um cachorrinho, em qualquer momento, até quando brinca com coleguinhas ele quer ser o cachorrinho do amigo, ele sempre quer ser submisso. Às vezes brinco com ele de “chefinho mandou” pra incentivá-lo a também mandar e não só obedecer. E também em qualquer situação difícil ele chora e diz estar com sono, me parece uma fuga.
    Gostaria de sua ajuda, esse comportamento dele é normal? Como devo agir?
    Desde já muito obrigada.

  8. Respondendo…

    Geralmente, esse comportamento é fruto de uma timidez ou de uma auto-estima fragilizada.
    Observe se ele já faz algumas coisas sozinho ou se nessas situações onde ele precisa realizar alguma tarefa que seja um pouco mais difícil, sempre aparece um adulto que se adianta e a realiza por ele. Isso tem acontecido com frequencia?

    É preciso sempre pensar que o comportamento que a criança apresenta, na maioria das vezes é consequencia de um comportamento dos pais em relação à ela. Muitas vezes os pais ficam ansiosos ou impaciente esperando que o filho realize alguma coisa e se adiantam para terminar logo aquela tarefa, pois a criança geralmente é um pouco mais lenta em seus movimentos e cordenação motora.

    Um exemplo clássico, é quando a criança começa a aprender a dar laço no cadarço do sapato (mas como isso é um pouco mais difícil e a criança se demora muito nisso) o adulto logo aparece e termina essa tarefa por ela.

    Com poucos incentivos e desafios, a criança se acomoda e passa a apresentar um comportamento mais na defensiva, acomodado e resistente à desafios.
    Digo isso, porque como vc mesma sinalizou, ele desiste diante de coisas mais difíceis.
    Vc deve deixar (não importa o tempo que ele leve) a fazer coisas mais difíceis e incentivá-lo a terminar cada coisa.
    E, naquilo que ele já faz, reforce com ênfase a tarefa terminada e elogie bastante.

    No que for difícil, ATÉ ONDE ELE CONSIGA IR, elogie tb, não importando se ele não conseguiu terminar tudo. A PARTE CONSEGUIDA DEVE SER SEMPRE ELOGIADA.
    Caso esse comportamento persista, vc ainda tem a alternativa de levá-lo à uma terapeuta infantil que poderá orientar vc mais de perto e com mais detalhes sobre como vc poderá agir com ele.

  9. Minha filha acabou de fazer 4 anos, seu comportamento tem sido um transtorno para mim, pois nâo posso levá-la, a nenhum lugar comigo, pois ela não para 1 minuto, corre, pula, grita quando dizemos à ela que não pode, não obedece de jeito nenhum, ela é muito agitada, por causa disso tenho vivido isolada, será que isso é normal? Estou desesperada, não sei mais o que fazer!! Desde já muito obrigada

  10. Respondendo…
    Vc não disse se ela tem esse comportamento agitado só quando sai ou apresenta isso tb quando está em casa.
    Ex: não consegue ficar parada muito tempo, sempre mexendo nas coisas ou indo de um lado para o outro.
    Crianças geralmente são agitadas mesmo, e o estranho é quando elas ficam paradas sem muito agito.
    Caso isso somente ocorra quando ela sai com vc, pode ser por curiosidade que queira pegar em tudo.
    Caso seja por desobediencia à uma ordem sua, já é caso de indisciplina.
    Caso seja por ativismo mesmo, já podemos pensar em uma orientação mais adequada através de uma psicóloga infantil.
    Como vc ve, são várias as nuances de um comportamento desse tipo e involve várias variáveis.
    Talvez seja apenas um caso de detalhar com mais cuidado todas essas variáveis e dar a vc uma orientação mais adequada junto à sua filha.
    Não fique sozinha nessa situação e procure ajuda mesmo.
    Os profissionais estão prontos a ajudar e muitas vezes falta apenas uma orientação específica àquela situação que o indivíduo está vivendo

  11. Tenho uma filha de 4anos e 10meses todas as pessoas dizem que ela é muito inteligente, porém o temperamento dela é muito forte, desde 1ano e 3 meses, ela é muito nervosa, grita com todos, quer bater em crianças que não quer brincar com ela, muito dificil para obedecer eu e o pai dela, chego a passar muita vergonha com ela na frente das pessoas, ela ja esta na escola, converso com a professora dela sobre seu comportamento ela sempre diz que tem um bom comportamento. Tenho notado que as pessoas mesmos adultos não gostam de ficar perto dela. Por favor preciso de ajuda.

  12. Respondendo…
    Se ela tem um comportamento adequado na escola, deve respeitar a disciplina que a professora impõe.
    Como é a disciplina que vc e seu marido colocam dentro de casa?
    Se ela se acostumou desde cedo (porque disciplina começa logo no berço) a fazer o que quer e não ouve vc, talvez a disciplina esteja um pouco ausente do dia a dia.
    Será que não é isso que tem acontecido?
    Existe castigo quando ela grita em casa ou grita com os outros ou mesmo com vc? O que vc tem feito em relação a isso?
    São perguntas fundamentais mas só vc pode verificar com detalhes esse tipo de atitude.
    Caso seja difícil verificar isso sozinha, não tenha receio em procurar uma psicóloga infantil que poderá “dicas” importantes nesse item prara vc.
    Lembrando que não é o caso de uma terapia para sua filha e sim uma orientação para vc e seu marido.
    A criança tem quase sempre um comportamento decorrente do que recebe em casa.
    Por isso, uma orientação pra vcs creio que será o suficiente.

  13. Meu filho de 1 ano e 7 meses, chora muito, mas muito mesmo, as vezes quase o dia inteiro, fico preocupada, pois as vezes não consegue se distrair com nada, apenas chora e reclama o tempo todo, já passamos por médicos para descartarmos a hipótese de alguma dor física, sinto que é pura manha, mas tenho dúvidas pois chega a ser demasiadamente chorão. Meu outro filho agora com 16 anos nessa fase também chorava muito, mas ficava com intervalos mais longos. O pequenino frequenta o berçário desde 1 ano e 2 meses, e seu comportamento tem se mostrado agressivo em casa e na escolinha, faz +_ 1 mês, chego aperder a paciência por vezes, pois seu choro contínuo perturba muito. Existe alguma leitura específica ppara me orientar, pode ser algum problema de ordem física ou emocional? Meu marido e eu trabalhamos muito e me sinto culpada por não termos muito tempo disponível. Meu filho adolescente reside com o pai e passa férias e feriados conosco e é super carinhoso com o irmão, mas chega a perder a paciência com o choro constante. Devo insistir com o pediatra em alguma pesquisa de ordem física? Está muito difícil, pois estamos no isolando, com receio de incomodar as outras pessos a nossa volta. Me oriente por favor, obrigada.

  14. Respondendo…
    Algumas crianças são mais sensíveis e mais carentes do que as outras.
    Como vc disse que trabalha muito, talvez esse seja o grande motivo.
    Será que ele pára de chorar quando está com vc?
    Vc tem passado algum tempo perto dele, tocando, acariciando sempre que pode?
    Como tem sido isso?
    O choro sempre sugere desconforto. Se não é físico, com certeza é emocional.
    Vc fica junto dele quando ele tem de dormir? Deita do lado dele e conversa com ele?
    Sua impaciencia deve gerar mais choro por causa dele.
    Quando vc se ausenta, irritada, ele deve chorar mais ainda porque já deve se sentir abandonado durante o dia.
    Isso não significa que vc tenha de parar de trabalhar. Seria o ideal. mas vc pode com certeza, gerar tempo com qualidade perto dele.
    O choro é de “estar pedindo” presença sua.
    Converse com calma com ele, pois nessa idade, por incrível que pareça. a criança gosta que o adulto a olhe e converse num tom de voz calmo com ela.
    Verifique esses pontos e vc mesma encontrará o motivo e tanto choro. Lembre-se que o choro é sempre um pedido de socorro.
    Existe muita literatura no caso específico dessa idade.
    Vc encontra em livrarias os diferentes estágios de idade e talvez encontre uma série da Clinica Tavistock, separadas em idade. “meu filho de 1 ano”.”meu filho de 2 anos, etc” Não é a única série mas procure na parte de psicologia.
    Vc certamente vai encontrar boa literatura a esse respeito.

  15. 06/02/08 Comentário recebido:
    Tenho 2 netas de 4 anos e 5 meses e outra de 2 anos e 9 meses que ficaram órfãs de mãe há 1 ano e meio. A mais velha que conviveu 2 anos e nove meses com a mãe é bem feminina, vaidosa e gosta de roupas apropriadas para a sua idade (tendendo mais para o lado mocinha). Já a mais nova que só conviveu 1 ano com a mãe doente, não tem parametro da mãe e só do pai, não gosta de maquilagem, nem de vestidos. Prefere shorts e para tirar fotos no studio onde devia se pintar foi um berreiro só. Brinca com meninas e meninos, mas prefere a companhia dos meninos.NO NATAL DISSE QUE QUERIA GANHAR UM PINTO (REFERENCIA AO ÓRGAO MASCULINO). É normal essa atitude, não devo me preocupar? E a falta de referencia feminia como fica?

    Marilena responde:
    É mais normal a criança na idade de 2 anos gostar tanto de brinquedos de meninos quanto de meninas.
    A referencia feminina de identificação sexual acontece somente mais tarde.
    Como ela tem vc como referencia, não se preocupe com isso. Tendo uma figura feminina ao lado ela se identificará com vc mais tarde.
    Essa identificação será mais forte aos 6 anos, como a imitação de comportamentos femininos.
    É importante saber que o gosto pelo feminino, como maquiagem etc não acontece nessa idade anos, ou mesmo de 3 e até 4.
    Ela ainda está na idade de percepção, ou seja, de perceber detalhes e de aprender.
    A maquiagem para ela, com certeza, deve ser uma tortura, pois ela ainda não entende seu significado e nessa idade nem pode ainda.
    Acessórios feminimos estão fora de questão. O interesse dela nesse momento é de observar e por isso mesmo ela já observou a diferença sexual.
    É normal tb a criança querer um “pinto”, pois ele representa aquilo que parece estar faltando nela. Mas, é apenas uma questão de diferenciação.
    Sua presença no devido tempo, no lugar da mãe, fará a identificação sexual adequada.
    Nunca podemos comparar as crianças com suas preferencias mesmo sendo irmãs. Algumas se interessam mais cedo que outras por comportamentos femininos.

  16. Minha filha de 6 anos fica o tempo todo mexendo as mãos e olhando, diz que não consegue parar e quando anda fica olhando para os pés também como se fosse uma necessidade. Sera um TOC? Por favor me responda. Sua pediatra disse para mim repreender ….

  17. Respondendo…
    Geralmente isso é fruto de uma ansiedade. Como anda o dia a dia dela? Tem uma rotina cheia de coisas para cumprir, tem tempo para brincar e tempo para ficar com vc?
    Caso vc a repreenda e isso de fato seja consequencia de ansiedade, ela com certeza substituirá esse comportamento por outro.
    Por ex: quando uma criança rói as unhas e é repreendida, ela geralmente usa outra coisa no lugar, como puxar o cabelo ou piscar os olhos ou outro tique nervoso.
    O importante é verificar a ORIGEM da ansiedade.
    Existe pressão para que ela faça tudo a tempo, sem erros, por ex? Existe cobrança demais?
    Pense sobre isso tudo.
    Falar em TOC ainda é prematuro. Nessa idade, geralmente, comportamentos desse tipo têm como base a ansiedade.

  18. Nossa!! Muito bom este site! Quero parabenizá-los…

    Gostaria de orientação quanto ao meu filho de 2 anos e 7 meses, queria saber se é normal o fato dele brincar muito com bichinhos, ele despreza os outros brinquedos ou atividades (exceto TV.. ainda que assista canal educativo e com bichinhos, claro!) e até mesmo os carrinhos vira um bichinho e ele então cria simbolos e coloca todos eles (os carrinhos) para conversar…
    Atualmente, tem uns dois dias, ele começou a piscar muito os olhos… não sei se é tique ou se ele está imitando um coleguinha vizinho nosso que brinca com ele!
    Tudo isso é normal?

  19. Respondendo…
    Nessa idade, principalmente, com meninos, é normal que ele se interesse por tudo que tenha movimento.
    Os bichos se encaixam nessa situação.
    No entanto, é importante brincar com ele com outros brinquedos para que ele tenha um leque bem grande de opções.
    Quanto ao piscar os olhos, pode ser sim uma imitação do coleguinha.
    No entanto, crianças com mais idade e muito tensas também apresentam tiques.
    Como ele ainda é muito novinho, parece mais um imitação.
    Continue observando.

  20. Meu filho de 4 anos e dois meses não conseguiu largar as fraldas, somente o xixi. Quando ele está com vontade de fazer coco, ele pede para colocar a fralda. Trabalho fora o dia inteiro ele fica com a babá. Não sei o que faço.Por favor me ajude!

  21. Marilena responde:
    Seria bom se fizesse um reforço “convidativo” a cada vez que pedisse para ir ao banheiro.
    Ofereça sempre alguma coisa que ele goste e mostre sua alegria sempre que ele conseguir fazer isso.
    A cada tentativa frustrada, separe um brinquedo e jogue numa caixa, mostrando que ele ficará sem ele por um tempo.
    Se ele pedir para ir ao banheiro, restitua o brinquedo na mesma hora.
    O condicionamento poderá ser usado por um bom tempo até que ele se acostume e o treino seja estabelecido.
    Talvez ele não tenha recebido o reforço necessário nessa passagem da fralda para o banheiro.
    Existe o controle nessa idade e ele mostra isso no controle do cocô.
    Mostre à babá como faze-lo tb e comece esse condicionamento no fim de semana quando vc estará em casa com ele.
    Antes de começar explique a seu filho como será o novo método. Ele tb está na idade de entender esse processo.

  22. 26/6/2008 Comentário recebido:
    Olá, estava lendo sobre a mente dos 2 aos 4 anos e sobre os comentários de algumas mães q relatam q seus filhos de 2 anos apresentam tique.
    Minha filha está com 2 anos e meio e tb começou a apresentar tique, ela pisca os olhos juntos geralmente por duas ou três vezes seguidas, começou a pouco tempo, mas antes dos tique começarem ela franzia a testa qdo eu conversava com ela, ou qdo lia historinhas, tb achei q pudesse ser algum problema de visão, mas acho q não teriam os tiques q começaram agora…
    E lendo sobre as respostas dadas as outras mães pude perceber q acho q é por um excesso de cobrança em relação ao comportamento dela.
    Não houve nenhuma mudança (escola, parentes, separações), mas eu e meu marido cobramos alguns comportamentos que, lendo sobre o desenvolvimento da criança nesta fase, pude perceber q estamos cobrando mto.
    Cobramos q ela se comporte à mesa, por exemplo, não pegando a comida com a mão, q se mantenha sentada direitinho, pois ela fica escorregando da cadeira e virando-se de lado, cobramos q guarde um brinquedo antes de pegar outro, entre outras coisas. É ruim falar sobre isso, pois coloca sobre nós uma “culpa” e se “erramos” não é proposital, muito pelo contrário é querer tudo certinho demais.
    Tanto q quando ela age da forma q estávamos esperamos ela fala: viu mamãe eu guardei tudo, ou então, hj eu não chorei pra lavar o cabelo… são coisas q não sei se ela fala pra mostrar q nos agradou ou para ser elogiada. A impressão q dá é q ela faz só pra nos deixar satisfeitos.
    Qdo começaram esses tiques foi como um termometro mostrando q algo não estava bem,
    então pesquisei algumas coisas e conversei com meu marido e realmente chegamos a conclusão q precisamos dar tempo ao tempo para q ela seja capaz de entender algumas coisas que ela ainda não tem capacidade e que precisamos urgente melhorar nosso comportamento em relação a cobrança que fazemos encima dela.
    Na verdade gostaria de saber se ao “aliviar” e relaxar um pouco ela vai se sentir melhor e com isso melhor o estress dela e os tiques ou será preciso alguma outra intervenção como um auxílio psicológico, e se tem um parâmetro de tempo q eu possa ter para saber qto tempo demora para esses tiques melhorarem, pois eles melhorando seria como um sinal de que estamos caminhando para um caminho mais adequado!
    Mto obrigada, vou ficar aguardando uma resposta q tenho certeza me ajudará mto! e parabéns pelo seu belo trabalho.

    Marilena responde:
    - Vc tem razão quando diz que percebeu a cobrança em sua filha.
    Realmente, nessa idade, elas ainda não estão prontas para terem um comportamento, à mesa, por ex., como uma criança de 8 anos.
    Ela ainda precisa sim, sentir a comida com a mão de vez em quando, ou escorregar na cadeira.

    Deixe-a mais à vontade.
    Ela já sabe que precisa andar “certinha” para agradar vocês, quando avisa que fez tudo certo.
    Ela deve, de fato, sentir-se numa tensão muito grande, pois precisa vigiar-se o tempo todo para não receber uma reprimenda.
    O reflexo disso, como você percebeu, são os tiques que vão variando e se alternando com o tempo.
    Deixe-a mais livre, mais à vontade, Ela tem somente 2 anos.

    Os tiques irão diminuir até acabarem e serão um grande “medidor” para você acompanhar se, de fato, você continua com cobranças ou não.
    Não há necessidade, por enquanto, de um psícólogo, pois você mesma irá medindo seu comportamento com ela.
    Espere alguns meses e vá acompanhando.

    Caso a situação persista ou piore, seria adequado buscar um profissional.
    Talvez esteja havendo mais pressões em outras áreas.
    A orientação, no entanto, será para os pais, pois crianças nessa idade, raramente precisam de terapia, apenas uma avaliação pelo psicólogo (ou nem isso) e, depois, então, orientação aos pais. O comportamento de crianças geralmente são uma consequência do comportamento dos pais.

  23. 25/6/2008 Comentário recebido:
    Parabéns pelo site, as dúvidas e respostas podem ajudar muitos pais que tiveram filhos sem manual de instruções!!!
    Gostaria de perguntar também: meu único filho tem 4 anos e meio.
    Eu e meu marido damos muita atenção, carinho e amor.
    Mas quando estamos nós 3 juntos, existe uma rejeição muito grande do meu filho para com o pai.
    São carinhosos um com o outro na minha ausência, mas quando estou perto, ele não permite que o pai o toque, fica agressivo.
    Seria complexo de Édipo? É normal ainda nessa idade ? Devo repreendê-lo ou não ? Como devo agir ? Antecipadamente, agradeço.

    Marilena responde:- É normal que nessa idade o filho tenha sim ciúme do pai.
    Você pode ir explicando a ele que é importante que seu marido goste também de vc, pois uma pessoa que não gosta da outra, geralmente fica bravo o tempo todo e briga muito com ela.
    Pergunte se ele gostaria que visse sempre o pai dele brigando com você.
    A criança nessa idade já entende muito bem o significado da palavra briga e, portanto, quando você fala nesses termos ele certamente irá entende o que você está falando.

    Sempre que ele demonstrar essa atitude, repita a explicação.
    Com o tempo, ele irá se adaptando e entendo melhor essa situação.

  24. 18/6/2008 Comentário recebido:
    Olá. Meu filho tem 2 anos e meio. Ele tem me dado tapas sempre que quer expressar um “NÂO” rebelde, e em seguida olha ocm aquele olhar esperando minha reação. Com se me experimentasse ou desafiasse.
    Gostaria de saber a melhor maneira de corrgí-lo já que o que faço parece não resolver. Normalmente falo firme com ele, sem agressividade, dizendo que ele não tem o direito de levantar a mão a alguém, e que eu não admito e não aceito aquele comportamento.
    Ressalto sempre também que o respeito e que ele deve me respeitar da mesma maneira.
    Devo dizer tbém que me mudei e o pai dele ainda não veio. E sempre que nos visita, faz tudo pra ele. Desde de presentes a atenção total, até mesmo se virando qdo converso com ele e o meu filho o chama. E, também, a babá não o reprime e nunca impõe nada. Apenas o convida e o tenta convencer das coisas.
    Só gostaria de saber como o ensinar. Obrigada

    Marilena responde:
    - Seu filho com essa idade, não conhece o sentido de palavras como respeito,etc…
    Ele está na fase do comportamento e como tal, sua atitude de disciplina também deve ser através do seu comportamento.
    Colocá-lo de castigo em algum lugar e dizer que ele ficará lá porque bateu em vc, será o bastante para ele entender que esse comportamento. Ele não deverá repetir. Deixe-o lá durante 2 min.
    Caso ele saia, volte com ele para o lugar mas não fale mais nada com ele .
    Evite tentar dar maiores explicações e tentar responder ao que ele eventualmente lhe diga.
    Castigo é castigo e para ele castigo será igual a : ficar sem seu olhar ou sem a sua conversa e sem a sua presença. Ele, rapidamente, entenderá o sentido de sua resposta.
    A disciplina começa desde o berço e crianças precisam dela para sentirem-se seguras e amparadas.

  25. 28/6/2008 Comentário recebido:
    Adorei o site…
    Gostaria de saber se é normal, meu filho tem 1 anos e 9 meses fala pela metade, mas fala.
    A questão é que não quer se alimentar… é uma dificuldade.
    Já fiz de tudo levei a pediatra dei um estimulante de apetite e nada motiva ele a se alimentar.
    É fase de uma criança??

    Marilena responde:
    - É uma fase que poderá durar um bom tempo.
    Vc poderá os estímulos para a alimentação dele.
    Se vc espalhar alguns pedacos de frutas ou mesmo comida na frente dele, talvez ele se interesse em pegá-las e provar.
    Não se preocupe com a sujeira. Ela vai acontecer mesmo, mas nessa idade é impossível exigir limpeza.
    Eles geralmente gostam de pegar tudo com as mãos e provar.
    Deixe que ele explore essa atividade. quanto mais variedade, melhor e quanto mais colorido melhor.
    Evite por um tempo, o uso da colher, prato,etc….
    Vc pode ter certeza que ele não ficará com fome e buscará alguma coisa para comer.
    Tente se alimentar na mesma hora que ele, ou comer alguma coisa enquanto ele come, como se fosse uma tarefa que vocês dois juntos estão fazendo.
    E, mais importante, tenha paciencia nesta hora, para que ele não venha a associar alimento com brigas, momento ruim, tensão, etc…

    02/07/2008 Comentário Recebido:
    Primeiramente, obrigada por suas informações. Isso me deixa um pouco mais tranqüila, mas te confesso: levei o bebe até a pediatra dele novamente e pedi uns exames para até ver se pode haver possibilidade de ser verme etc.
    Não sei ele me deixou preocupada, pois veja, ele logo pela manha as 07:20 ele toma mamadeira de 200ml e só vem a se alimentar por volta das 10:00 um iogurte e depois só as 12:3o mas só um pouco de comida salgada, e depois assim se vai um biscoito e depois a janta as 18:20.
    Eu acho que é pouca alimentação para um menino de 1 ano e 9 meses….mas vou ter mais calma….
    só mais uma duvida, é normal um menino desta idade não falar as frases por inteiro??
    Por ex: “Mamãe, papai chegou”…ele fala: “mamãe papai”… Acho que ele tá demorando um pouco não acha?? Mais uma vez Obrigada

    Marilena responde:
    A fala também precisa de estímulos. Quando ele parar a frase na metade, tente fazê-lo continuar.
    Por exemplo: “Mamãe, papai” … Pergunte: O que houve com papai? (como se vc não soubesse).
    O desenvolvimento da fala varia de criança para criança e, portanto, haverá um momento em que ele irá desenvolver mais o vocabulário e progredir.
    Ainda bem que você o levou ao pediatra. Ele fará sempre um acompanhamento adequado para seu filho, não deixando que ele fique anêmico ou com falta de vitaminas.

  26. 27/6/2008 Comentário recebido:
    Por favor me ajudem.
    Meu filho acaba de completar dois anos e está muito irritado.
    Perco a paciência fácil e meu marido também.
    Ele grita, desobedece, não que se alimentar corretamente.
    Só fica pedindo por mamadeira.
    A situação está ainda mais difícil com relação ao meu marido.
    Ele está muito muito irritado com o própio filho. Mas, não está adiantando nenhum tipo de castigo.
    Colocamos ele pra pensar, apesar dele ficar lá sentado os 2 minutos… em tempo lá esta ele novamente desobedecendo.
    A situação esta tão grave que não estamos mais saindo com ele, por vergonha, stress!
    E isto está nos incomodando muito. Está nos entristecendo. Queremos saber onde estamos errando e como acertar.
    Bjos e parabéns pelo trabalho que vcs realizam.

    Marilena responde:- Seria bom que você investigasse junto ao pediatra se está tudo correto com ele, em termos de saúde.
    Uma alergia, por exemplo, leva uma criança a ficar muito irritada com tudo.
    Se for somente na área da alimentação, veja também, junto ao pediatra a variedade de alimentos que ele tem acesso.
    Quando a variedade é pequena, ou quase a mesma ao longo das semanas, a criança perde a vontade de comer.

    Caso esteja tudo ok, não se acanhe em pedir orientação a uma psicóloga infantil que poderá ver de perto os detalhes da situação de vocês e dar uma orientação mais adequada e precisa.

  27. Marilena responde:
    Em algum momento, seu filho deve ter começado a apresentar esse quadro e muito pouco foi feito para revertê-lo.
    A disciplina começa no berço e quanto mais as ordens dele forem acatadas, mais autoritário ele ficará.
    No fundo, ele sabe que pode controlar o comportamento das pessoas com seus gritos.
    Imagino que as pessoas ao redor, devam aceitar seus mandos para que ele pare de gritar.
    Ele apenas teve esse comportamento reforçado com o tempo, mas ainda é possível reverter esse quadro, fazendo exatamento um condicionamento ao contrário.
    No momento que fizerem a roda, por exemplo, para brincarem com ele e ele começar com suas exigências querendo que tudo fique como ele deseja, as pessoas começam a se retirar e a brincadeira termina.
    A cada exigência dele de mando, as pessoas se retiram e ele ficará sòzinho.
    Com essas situações repetidas, ele com o tempo vai perceber que gritos e exigências = fim de brincadeira e de atenção (que no fundo, é o que ele quer).
    Não tenha pena de atuar dessa maneira e pedir que seus familiares façam o mesmo.
    Essa é a melhor maneira de ajudar seu filho e viver em comunidade, pois a partir dos 2 anos começa a socialização e ele em breve ele terá a companhia de mais crianças na escola e as coisas não serão na ordem que ele determina.

  28. Meu filho tem 2 anos e 4 meses, e tem um irritabilidade acima do normal, isso desde que ele nasceu. Exemplo se estamos cantando uma musica junto e mudamos a letra ele começa a gritar para parar, em vez de tentar desenhar algo ele rabisca muito forte e fala “forte papai” até hoje não consegue desenhar nada, quando esta com os tios e avos ele os junta para brincar de roda e cada um deve ficar na posição que ele mandar se não se irrita, e pra completar se alguém conehcido chega pra fazer carinho e ele não quer ou ele grita ou levanta a mão pra bater. Eu e minha esposa tentamos de tudo falamos com ele na altura dele, repreendemos o comportamento sem bater, mas ele repete esse comportamento, pretendemos leva-lo a uma psicologa para observação pra ver o que acontece, alguém já passou por algo parecido?

  29. 11/07/08 Comentário recebido:
    ola, fiquei feliz em ter descoberto este site, eu tenho um filho de 2 anos e 5 meses , minha esposa e eu estamos por uma situação no minimo constrangedora.
    Deste que meu filho nasceu eu tenho cuidado dele, pois minha esposa trabalha fora e como estava desempregado fiquei tomando conta dele, sempre meu filho tratou a mãe com carinho, mas de uns meses pra ca, toda vez que ela chega do trabalho ele a recebe com um comportamento agressivo e chorando muito, na maioria das vezes tenho que socorrer, pois ele chora muito dizendo pra ela ir trabalhar e agredindo-a com tapas. por favor me oriente o que devo fazer.

    Marilena responde:
    O comportamento de seu filho mostra somente uma coisa: ele está cansado da ausencia de sua esposa, por isso a agride. Geralmente, agredimos o “objeto do desejo”.
    Ao invés de seu filho correr para ela, ele agride, como se dissesse: chega de tanto abandono, fique comigo!
    Pode parecer um comportamento contraditório, mas apenas mostra o desejo dele de permanecer mais tempo com a mãe.
    Seria importante que ela ficasse o máximo com ele, e tentasse passar e substituir você pelo menos nos fins de semana com ele.

  30. Meu filho com 2 anos e 4 meses tem apresentado pavor de televisão, não podemos ligar que ele corre para desligar e caso seja contrarfiado entra em desespero. Ele diz que a televisão doi, não sei mais o que fazer, não sei como me comportar, enfim gostaria muito de ajudar meu filho nessa situação

  31. Marilena responde:
    Não sei o que seu filho andou vendo pela TV que o fez ficar com medo.
    Seria bom que ele ficasse mesmo um bom tempo sem a TV e depois que aos poucos ele somente visse desenhos animados de bichinhos, por ex. Vila Sésamo, os desenhos da TV Cultura, por ex.
    Infelizmente, nossa TV apresenta programas nada saudáveis para as crianças e há sempre intervalos onde aparecem coisas assustadoras para elas.
    Evite ver seus programas perto dele e tente vê-los na ausência dele, quando ele estiver dormindo, por exemplo.

  32. 14/07/08 Comentário recebido:
    Minha filha, de 2 anos e 8 meses, tem comportamento agressivo familiar e social. Não obedece de jeito nenhum , não para quieta , não brinca por muito tempo com alguma coisa , parece não temer nada , controla tudo.
    O que isso quer dizer?

    Marilena responde:
    Você deve ir a um psicólogo infantil, relatar o caso e talvez precise de orientação da mesma para saber como lidar com ela.
    Crinaças nessa idade, geralmente, não param quietas mesmo e têm uma atividade muito intensa.
    Ela possui irmãos? Convive com outras crianças? Já está na escolinha?
    Esse aprendizado social, faz com que a criança aprenda a conviver de uma forma bem menos agressiva.

  33. Primeiramente, parabéns pelos artigos. Vou tentar ser o mais objetiva possível. Sou educadora, trabalho em uma creche e trabalho com crianças de 1 ano e 9 meses de idade, aproximadamente. Tenho, em média, 3 crianças em período integral, mas uma, em especial, apresenta um comportamento no mínimo estranho, q merece um olhar mais atento. Ele é uma criança cativante, linda, mto bem cuidada e amada por sua família. Filho de pais separados, é criado pela mãe, avó materna e a tia. Ele apresenta traços comuns dessa idade, uma certa dificuldade com as palavras, com os talheres, enfim, mas o que me preocupa são os repetidos epsódios de mordidas, onde ele sempre ataca os coleguinhas, porém ele não expressa agressividade com essa atitude, parece divertir-se com isso…Tbm não presta atenção ao q eu falo qdo estou repreendendo ou explicando alguma coisa para ele. Chora, fica falando junto comigo, se joga no chão e eu vejo q td o q eu falei não foi absorvido por ele.Tentei fantoches, histórias, músicas, a fim de estimula-lo a ter atitudes mais carinhosas, criei o momento do abraço, onde ele e os demais se abraçam, se beijam, conversei com a mãe e avó e elas se mostraram mto atentas ao problema e dispostas a ajudar. Estamos tendo sucesso com essa tática, ele já não morde com tanta freqüência, mas ainda não aceita meus pedidos, enfim, ainda não entendeu, pra ser bem direta, q não dá pra fazer sempre o q se tem vontade.
    Preciso de alguma técnica, alguma forma, enfim, uma luz para q eu torne essa criança um pouco mais obediente, não submissa e passiva, mas aberta a aprender como conviver melhor com regras, acatar pedidos, enfim…Preciso de ajuda, pois não tenho formação acadêmica nessa área, estudo comunicação social, mas estou mto interessada em entender um pouco desse universo. Desde já, sou grata.
    Atenciosamente,
    Simone Alves.

  34. Marilena responde:
    Crianças nessa idade, já aprendem a respeitar regras e já podem ser disciplinadas desde cedo.
    Caso ela não faça o que todos fazem na sala, ela deve ser levada à um cantinho e permanecer lá por 2 minutos, longe das outras crianças para ir percebendo que ela perde sempre alguma coisa quando não segue as regras..
    Se for na hora de alguma atividade, ela perderá parte da brincadeira.
    Elogie sempre que ela obedecer com bastante ênfase para que ela perceba a diferença entre o que é correto e o que não é.
    Verifique se a disciplina está sendo feita em casa, também, pois caso isso não esteja ocorrendo, será difícil para você implantar isso com ela.
    Muitas vezes quando a criança fica muito tempo fora de casa, a tendencia é ser mais do que tolerante com as vontades dela, numa tentiva de compensar a ausencia materna.
    Vc precisam trabalhar juntas nisso.

  35. 17/07/08 Comentário recebido:
    Meu filho tem 4 anos e 5 meses de idade, acho que ele não acompanha o desenvolvimento das outras crianças da idade dele na escola, é muito tímido, inseguro, tem dificuldades em aprender cores, em recontar histórias, até para ir lavar as mãos ele depende do coleguinha para ajudá-lo. Isso é normal? Será que tem alguma coisa a ver com a família, o pai dele diz que também foi muito tímido nessa idade. Por favor me ajude, pois estou muito preocupada.

    Marilena responde:
    Há muitas coisas que envolvem a situação de timidez numa criança.
    Tudo depende de como ela foi reforçada logo bem cedo em fazer suas tarefas e da liberdade que teve e do estímulo em fazer outras tarefas sozinha.
    Talvez você precise de uma orientação mais precisa de uma psicóloga infantil para que possa orientar você de como lidar melhor com essa situação.
    A orientação é para você e não uma terapia para seu filho.
    Nessa idade, geralmente, o comportamento de uma criança é consequencia do comportamento dos pais.
    O terapeuta, munido de mais detalhes poderá orientar vc melhor.

  36. 19/07/08 Comentário recebido:
    Olá, primeiro gostaria de dizer o site é otimo. Encontrei varios casos que se encaixam nos meu caso e aprendi muito. Parabens.
    Bom eu tenho uma menina de 2 anos e 8 meses. Ela convive comigo, meu marido e com minha sogra. Eu estou confusa com o comportamento dela, Ela grita muito, e fica falando bastante como se estivesse nos imitando. Eu fico com dó pq agora estamos toda hora, dando bronca nela e vejo que ela fica sem graça qdo leva uma bronca, eu acho que ela esta convivendo muito com adultos e não tem noção de como se comportar e fica tentando chamar a atenção de qualquer maneira. Como posso falar com ela de maneira que ela me obedeça e entenda que eu estou ensinando ela e não repreendendo. Pois comigo ela abusa as vezes. E é normal ela se fazer de surda quando o que falamos não interessa a ela. Tipo Vamos tomar banho etc e tal. E é normal ela levantar a mão para mim e me dar tapas como as vezes dou tapinhas nela.
    Quando ela conviver mais com crianças ela vai mudar o comportamento?

    Marilena responde:
    A diferença entre “dar bronca “e “ensinar” é o tom de sua voz.
    Vc pode gritar, o que significa que vc está dando bronca e pode dizer a mesma frase, em tom baixo, mas firme, mostrando que vc está ensinando.
    Repreenda sempre que necessário sem culpa.
    A disciplina começa no berço.
    Como vc às vezes dá tapinhas, procure fazê-lo com um chinelo no bumbum, mas nunca use sua mão. a mão deve ser usada para fazer carinho e ela aprenderá isso desde cedo.
    Como ela ainda não sabe fazer muitas tarefas sozinha, como tomar banho, por exemplo, segure-a pela mão e vá com ela. Assim ela sempre se sentirá apoiada.
    A convivencia com outras crianças será importante, porque a partir dessa idade de 2 anos começa a socialização
    e ela aprenderá regras básicas, como não gritar quando quer alguma coisa, dividir brinquedos com outras crianças, dividir atenção, etc….
    Irá melhorar bastante com o início da escolinha.

  37. 22/07/08 Comentário recebido:
    O meu filho tem um ano e seis meses, não fala nenhuma palavra, não segura em pedaços de frutas e não segura nas alças do copo para beber água. Acho isso estranho, pois vejo crianças mais novas que ele fazendo tudo isso com desenvoltura. Será que isso é normal ou tenho que procurar ajuda?

    Marilena responde:
    Vc deve primeiro consultar o pediatra e ver sua orientação.
    Se o processo persistir, vc pode levá-lo a um neurologista para que ele possa avaliar seu controle motor.

  38. por favor, me responda, pois tenho uma filha de 3 anos, ela tem tic nervoso, poi sempre quando parece que ela fica feliz, ela começa a tremer a mão bem rapido, abre a boca, as vezes ela treme quase o corpo todo, parec q fica até sem respirar, isso aconteceu desde q ela era bebê de 6 meses, quando brincavam com ela ela ficava assim, me responda se é grave isso. espero a resposta com muita pressa.

  39. Marilena responde:
    Se o pediatra não encontra nada em seu comportamento, não se preocupe. a criança ansiosa balança o corpo todo e fica assim desde bebê.
    O descontrole faz parte da emoção, assim como nós adultos, nos descontrolamos e ficamos ansiosos quando temos de falar para uma platéia, perdendo o controle da respiração ou mesmo quando a pessoa está prestes a se encontrar com alguém que gosta muito (típica reação de adolescentes).
    À medida que o indivíduo amadurece, também, amadurece suas emoções e passa a ter maior controle sobre elas.
    Sua filha também passará pelo mesmo processo. Não se preocupe. Algumas crianças são mais ansiosas, outras menos, mas não se preocupe.
    Esse é um comportamento de ansiedade por estar desejosa de estar com você.

  40. 01/08/08 Comentário recebido:
    Quero parabenizá-los pelo site.
    Tenho um filho de 2 anos e ele é super carismatico, carinhoso, amoroso, educado…todos no condominio onde eu moro gosta dele. Apesar dele ter essas qualidades a minha preocupação é se eu nao estou mimando muito ele, como por exemplo, ele mama até hoje, ele cobra muito carinho meu, minha atenção, sempre atendo qdo ele me pede…nao gosto de ver ele chorando pedindo minha atenção…, já cheguei colocar ele de castigo e tambem já levou umas palmadinhas, mas sempre atendo ele .Recebo muitas criticas, por ainda amamentá-lo e algumas pessoas falam que ele vai ficar um adulto dependente…isso é verdade?

    Marilena responde:
    Se vc consegue manter a disciplina junto com o carinho, tudo bem.
    A indisciplina e super-proteção, levam a criança a uma dificuldade de lidar com a frustração e isso não é nada bom.
    Se ele fica de castigo, chora, mas vc não cede ao choro dele, tudo bem.
    É nesse caso que falo da disciplina onde não há flexibilidade apesar do choro e manha dele.
    Se vc tb consegue fazer com que ele divida o tempo e passe com outras crianças e aprenda aos pouco fazer algumas tarefas sozinho, tudo bem tb.
    A super-proteção atrapalha a capacidade da criança crescer e tornar-se independente.
    Observe esses itens e veja como vc tem controlado tudo isso.

  41. 14/08/08 Comentário recebido:
    Olá quero fazer uma pergunta: Meu filho tem 01 ano e 8 meses e pesa 09k e é muito bebezinho Queria saber se ele pode ter alguma doença mental que não aparenta te-la. Me ajude por favor

    Marilena responde:
    O pediatra irá testar todos os reflexos de seu filho a cada consulta e através disso, poderá avaliar se ele possui alguma coisa.
    Testes neurológicos poderão ser feitos, caso o pediatra queira.
    É bom lembrar que cada criança e bebê evoliu à sua maneira e no seu próprio rítmo.
    Alguns são mais rápidos e outros mais lentos, sem que isso signifique algum problema mental.

  42. Meu filho vai fazer quatro anos e é um menino muito agitado, principalmente quando saímos com ele, ele tem um comportameno agressivo com outras crianças, principalmente, quando está num grupo de crianças e as mesma não dão muita atenção a ele. Gostaria de saber como faço para acabar com estes problemas? Desde já agradeço a atenção.

  43. Marilena responde:
    Ele já tem idade para entender e ser ensinado que agressividade afasta as outras crianças de perto dele.
    O NÃO à agressividade deve ser sempre respeitado por ele e a cada tentativa dele em ser agressivo com as outras crianças, vc deverá afastá-lo das mesmas, para ele começar a perceber que tal comportamento tem consequencias.
    Agressividade=isolamento

  44. Meu filho tem 4 anos e ha 1 ano e 6 meses mudamos de pais e e meufilho esta se alfabetizando, com uma cultura diferente e lingua diferente.E ultimamente na escola ele sempre tem cartinhas com reclamacoes do comportamento dele em relacao aos coleguinhas, que nao gosta de emprestar os brinquedos e tambem que bate nos mesmos, perguntei para ele, e o mesmo me fala que o coleguinha, bateu nele e por isso que o mesmo revidou, so que ele nao fala para a professora que apanhou e o colega fala, o que posso fazer para que o meu filho nao continue tendo este tipo de reacao, ele e filho unico.

  45. Marilena responde:
    Você deve primeiramente conversar com a professora na escola para saber exatamente o que vem acontecendo.
    A professora deve ficar atenta à ele para ver se de fato ele está só revidando ou tomando a iniciativa para bater no coleguinha.
    Ela deverá sempre monitorar o comportamente dele e sempre comunicar a você o ocorrido.
    Juntas, poderão trabalhar melhor.

  46. Parabéns pelo site , tem orientações claras de procedimentos importantes para criação de nossos filhos. Tenho um filho de 2 anos e sempre falava que ele era calmo , obdiente, enfim bonzinho , mas agora ele está contestador se digo subi na mesa não , ele responde subir sim e sobe! Uso o método do castigo por 2 minutos mas nem sempre funciona , e parece que ele me testa e mais fora de casa.Outro dia no restaurante ele bateu na cara da baba reclamei mas ele ria e fazia novamente perdi a calma e dei tres palmadas na mão dele mas tb não adiantou . Estou precisando de orientação como proceder , há algum livro de facil compreensão que possa me ajudar com o desenvolvimento dele? Aguardo sua resposta .

  47. Marilena responde:
    Se a disciplina não for feita SEMPRE pouco vai adiantar.
    O castigo deve ser regular e você deve voltar com ele ao local do castigo sempre que ele se recusar a ficar lá.
    A cada indisciplina, mesmo na rua, ou fora de casa o castigo deve ser feito também.
    Geralmente, a criança tem o castigo somente em casa a passa a achar que não vai ocorrer nada se ela estiver fora de casa. O “cantinho” do castigo também deve ser escolhido fora de casa.
    A coerencia se estabelece nessa constancia.
    Com o tempo ele vai perceber que o castigo é uma norma não importando onde ele esteja.
    Os desafios da criança nessa idade são frequentes e como ela aprende por repetição, a repetição do castigo deve prosseguir igualmente.

  48. minha filha de 2 anos é muito agitada e nervosa,as vezes egoista demais como devo agir com ela pois tenho um desgaste fisico muito grande

  49. Marilena responde:
    Crianças nessa idade são egoístas mesmo.
    Tanto é assim que a idade ideal de começar na escolinha é depois dos 2 anos, onde começa a fase de socialização.
    Antes disso, ela (caso esteja na escola) não saberá dividir brinquedos com colegas.
    Essa fase, no entanto, vai desaparecendo à medida que ela for crescendo e for introduzida à escola.
    Quanto ao nervosismo, verifique se isso aparece em reação à sua disciplina.
    Essa é a idade, também, em que a disciplina aparece com mais frequencia, pois a criança ganha maior independencia.
    Com isso, as “artes” começam a aparecer mais e a disciplina também.
    A criança reage à isso com choro e nervosismo (demonstrando que não está aceitando o fato de ser contrariada). Só voce poderá observar e dizer à que comportamento corresponde esse nervosismo.

  50. Olá. Meu filho tem 2 anos e 1 mês. É muito esperto, e inteligente. Ultimamente está bastante agressivo. Este é o 8º dia de creche dele, o qual ele sempre se nega a ir, chora muito, dizendo que quer ficar em casa.(Tenho uma tia e a bisavó dele que moram no andar de baixo e fazem todas as vontades dele, c/guloseimas e tudo mais). Mas depois de uns 10 min. que está na creche, as professoras falam que ele já pára de chorar e se acalma. Fica o dia todo lá e buscamos no fim do dia. Nós dois trabalhamos fora. Antes de ir p/creche ele ficava numa casa de família desde os 6 meses de idade. Lá ele adorava ficar, mas a mulher que cuidava dele ficou doente e colocamos então a creche. É uma criança feliz, amada e recebe muito carinho. Mas percebi que depois destes dias na creche, ele está piorando, estando mais agressivo do que já era. Não quer tomar lanche nem almoçar. O que mais me preocupa é que a agressividade é geralmente comigo e com meu marido. Mais ainda comigo, pois me bate sem controle. As vezes eu dava um tapinha na mão dele, ou na bundinha, explicando que dói, que era para ele sentir tbém…Mas percebi que só piorava. Ficava mais agressivo ainda, revidando com mais tapas. Agora deixamos ele de castigo no quarto, em cima da cama sem poder descer, geralmente por 2 min. No castigo ele chora muito, grita, dizendo “não quero ficar de castigo” Mas pelo menos ele não sai de lá antes de eu deixar…Eu não sei mais o que fazer…estou perdendo a paciência c/muita facilidade. Acabo gritando e me alterando…Para finalizar, estou tentando tirá-lo da fralda juntamente com as prôs da creche. Ele já faz xixi e cocô no pinico de manhã, quando tiro a fralda. Já sabe que quer fazer, pois as vezes ele pede: “mamãe, xixi”. Mas as vezes acaba fazendo na calça. Acho que estou pressionando ele demais. O que devo fazer?
    Será que devo procurar um especialista ou alguma leitura específica p/me orientar nestas situações todas? Me ajude por favor…Obrigada.

  51. Marilena responde:
    Não sei como foi a adaptação dele na creche. Foi sendo feita aos poucos?
    Voce ficava com ele na salinha por 1 hora e ia embora com ele?
    Voltava no dia seguinte e ficava 1 1/2h e depois ia ficando no corredor, na sala da frente, etc….?
    Isso deveria ter sido feito durante 1 semana para que a criança não se sinta ‘largada”na escola.
    Caso voce não tenha feito isso (não sei como é a orientação da escola) seria interessante que voce conversasse na escola e recomeçasse uma nova adaptação.
    Não inteira, como acima, mas pelo menos parcial, para que ele se sinta mais seguro.
    A agressividade com voces, só demonstra como ele se sente abandonado por voces, pois são os pais, (na cabeça da criança) que o abandona; daí a tendencia de bater em voce, como se dissesse: Vc é a culpada disso, olha o que está fazendo comigo, etc..
    O castigo deve continuar a cada indisciplina ou agressividade com voce.
    Isso não deve ser flexível, pois é uma fase em que eles testam os pais nessa área.
    toda mudança de escola, ou professora, ou babá, etc… provoca uma certa insegurança na criança.
    Tente uma adaptação mais demorada e parcial com ele.

  52. gostaria de algumas orientaçãoes, trabalho com crianças de 4,5,6 anos em uma escola municipal,mas o comportamento dessas crianças são terriveis,estamos pensando em trabalha com eles em assistencia educativa e orientação de como se comportar,mas estou com dificuldade para desenvolver esse trabalho,vcs podem me ajudar?

  53. Marilena responde:
    A orientação mais adequada seria através de uma psicopedagoga que poderá lhe ajudar com maior eficiencia.

  54. Gostaria de saber se é normal meu filho, de 2 anos, não falar frases completas. Ele só fala papai, mamãe, juju.

  55. Marilena responde:
    O vocabulário de uma criança de 2 anos varia muito de criança para criança.
    Geralmente, ele aumenta quando ela inicia a escolinha.
    As meninas por exemplo, têm geralmente, um aumento mais rápido no vocabulário que os meninos.
    Não se preocupe porque ele alcançará esse desenvolvimento ao tempo dele.

  56. Meu filho acabou de completar 4 anos e está numa fase que chora muito por qualquer motivo, não era de chorar, a professora ATÉ FALAVA QUE QUANDO ELE CHORAVA tinha que sair correndo que com certeza era grave…como devo proceder???

  57. Marilena responde:
    Muitas vezes o choro sem causa aparente, é uma necessidade de atenção.
    Voce tem tido tempo para ficar com ele? Como anda sua atenção com ele?
    Muitas vezes, também, a criança não consegue realizar alguma tarefa sozinho e percebe a cobrança da mãe ou decepção dela. Veja se isso tem acontecido.
    Observar detalhes assim poderá lhe ajudar a entender melhor a reação dele.

  58. Olá, minha filha tem 4 anos e sempre foi esperta, carinhosa demais, ligada no mundo a sua volta, está sempre pronta a ajudar, comportada até demais, organizada tb. Com muito diálogo em casa sempre procuro explicar o porquê de cada não,elogio sempre tudo o q ela faz, sempre olhando nos olhos etc. Seu comportamento sempre foi muito maduro para sua idade. Com os amigos ela nunca consegue “brigar” pelas suas idéias e vontades ex: brincadeira de mae e filha ela quer ser a mae mas a outra n deixa ela acaba sempre cedendo pq diz q senão n brinca.Ela está numa escola nova tenta fazer amigos mas diz q nunca é chamada para brincadeiras, sempre ela quem chama e diz estar se sentindo sozinha, q n tem ninguém que fique “com ela”(melhor amiga)Na outra escolinha tinha a “melhor amiga”. Não exijo nada dela só explico o porquê de organizar suas coisinhas( e qdo raramente deixa espalhada nao falo nada pois acho isso normal), de como é bonito ser educada (dizer por favor e obrigada) etc Será que por tentar educar acabei errando? Acho q ela n se comporta como criança nao como as outras. Ela repara e comenta comportamentos dos outros amigos qdo são rebeldes, jogam seus brinquedos, brigam etc.Sinto ela muito frágil emocionalmente. Não sei como ajudar.

  59. Marilena responde:
    Há algumas crianças que desde muito cedo já demonstram seu perfil.
    Há aquelas que brigam por qualquer coisa, há as que cedem quase sempre e há as que são intermediárias, mais pacifistas, etc… Talvez, sua filha seja uma delas.

    Voce poderia ajudá-la se pudesse identificar algumas amigas mais próximas e convidando-as para brincarem com sua filha (desde que ela queira, é claro). Talvez, ela seja mais amiga de poucas crianças do que de muitas. A troca de “casas” entre amigas por uma tarde ou algumas horas, poderá fortalecer sua filha no sentido de mostrar a ela que ela pode e consegue fazer amizades.
    Observe esses detalhes de preferencia em sua filha e tente estimular esse seu lado para que ela se sinta mais segura.

    Retorno da mãe:
    Deus sabe como coração de mãe às vezes aperta!! Agradeço por mim e por tantos outros que mesmo sendo pessoas desconhecidas, foram merecedoras, acima de tudo, da sua atenção e do seu carinho. Muito obrigada!
    Luciana.

  60. Olá! Meu filho tem 2 anos e 4 meses, tem horas que é muito carinhoso, dá beijos e abraços, mas tem vezes que só quer bater em mim e no pai dele, se bato nele também ele quer bater mais então eu converso com ele digo que não se deve bater que machuca. Se eu e o pai dele estamos sentados juntos no sofá ele vem e faz um de nós sair. O que devo fazer pra mostrar que quem manda são os pais e não ele? Preciso de ajuda. Abraço

  61. Marilena responde:
    Seu filho está na fase do ciúme (seu com o pai) e por isso tenta separar voces dois no sofá.
    Sempre que ele fizer isso, tente colocá-lo no meio e arrume alguma coisa que possa entrete-lo.
    Essa fase passa e os tapas mostram o quanto ele bate por não ter o que consegue, que é atenção sua exclusiva com ele.
    Bate em voce por não conseguir isso e bate no pai por saber que é ele quem separa voce dele.

    Essa fase passa com o tempo e é normal que aconteça.
    Bater para ele, ainda não significa que ele está desafiando voce ou que quer mandar.
    É apenas uma demonstração de ciúme.
    Diga à ele que todos voces gostam dele e que voce, gosta muito dele.
    E, sempre que puder, incentive alguma brincadeira com voces tres para que ele perceba o quanto é divertido brincar com os pais e não somente com a mãe.

  62. 10/09/08 Comentário recebido:
    Minha filha tem 3 anos e 11 meses e quase nao fala direito. Ainda esta nas fraldas. Já tentamos tirar varias vezes mais nada. Nós falamos com ela, mas parece que ela não entende. Fala igual a um bebe. São poucas palavras que fala. Nem para comer ela fala. Às vezes fala mama. Chora sempre igual a um bebe. Ela tem 2 irmaos mais velhos de 8 e 5, mas não foram assim como ela. Já levei no medico ele disse que é normal.
    Ela vai pra escola ano que vem e estou preocupada. Ela chama todo mundo de mamae e papai. Ela não age como outras criancas normais nao sei mais o que fazer. Será que procuro uma psicologa?

    Marilena responde:
    Primeiro, seria importante que voce a levasse ao pediatra que a acompanha regularmente.
    Caso ele ache isso normal e voce continue preocupada, poderá buscar ajuda de uma psicóloga infantil, e talvez a própria escola que irá frequentar poderá indicar alguém (caso voce não tenha outra).
    A avaliação será feita mas a orientação será para você e não para sua filha.
    Não é o caso de terapia para sua filha, mas somente alguma orientação para voce em como lidar com ela em termos de auxílio no vocabulário, no abandono das fraldas, etc….
    Não hesite em procurar essa orientação.

  63. 20/09/08 Comentário recebido:
    Me socorra pelo amos de Deus! não aguento mais meu bambino de 2 anos e meia acordar ao gritos, gritar e gritar sempre que quer algo, eu estou até entrando em choque com o pai dele pois eu digo a ele que se continuar pedindo as coisas ao berros não darei e o pai sempre sede e se irrita se tento corrigido, nao sei oque fazer nossas manhãs são sempre muito estressantes pois ele sempre acorda de pessimo humor e grita muito. Me ajude pois estou a beira de um surto.

    Marilena responde:
    De fato, voce e seu marido deveriam entrar em um acordo em relação à postura de voces com seu filho. Se ele grita, ou voces respondem ou não respondem e ignoram até que ele pare de gritar.
    Se, de fato, voces sempre o atendem quando ele grita, ele continuará gritando sempre para conseguir o que quer.
    Crianças nessa idade fazem associações rápidas, ou seja, grito = consegue o que quer.
    Se vc ignorar, o que será que irá acontecer?
    Talvez ele grite até ficar rouco e veja que esse esquema não está funcionando.
    A melhor maneira seria a de ignorar os gritos dele e ele depois de algumas tentativas irá fazer um condicionamento inverso; ou seja, fará outra associação no lugar da outra.
    Seu marido no entanto, deve estar de acordo com voce; caso contrário não irá funcionar.

  64. 25/09/08 Comentário recebido:
    tenho uma filha de 4 anos eu a peguei brincando com um cachorrinho de pelucia. Fiquei muito assustada, pois colocava dentro da calcinha. Perguntei o que estava fazendo e disse pra não repetir. Acho que não agi corretamente pois quando a vi novamente fazendo eu bati nela, estou muito preocupada e não sei como agir, não sei se é normal e pra falar a verdade estou apavorada me ajude por favor.

    Marilena responde:
    Há vários motivos para isso. Ela pode ter visto alguém guardando alguma coisa dentro da calça, ou
    pode ter observado o volume da calça algum menino e por isso copia. Ou, ainda, apenas pra sentir cócegas, já que é uma região muito sensível.

    Nessa fase, isso é apenas uma curiosidade e não se trata de masturbação ou algo parecido.
    Pergunte, apenas, porque ela faz isso. Mas vc não precisa bater nela por isso e nem brigar.
    Isso só vai fazer com que ela fique mais curiosa ainda e queira repetir ainda mais vezes.
    Deixe que ela esgote essa curiosidade que logo esquecerá isso.

    Retorno da mãe:
    Agradeço pelo conselho e vou seguir. Esta resposta me tirou um peso na conciencia. Ela sempre foi muito precoce em tudo sempre faz perguntas e nada passa por despercebido e eu sempre respondo as sua perguntas da melhor forma possível sem dar margens a duvidas.

  65. Nossa, amei esse site que encontrei por acaso. sou mãe de primeira viagem de uma menina que fará 2 anos agora em outubro. Costumo ser muito carinhosa, mas tenho observado que ela tem me desafiado. Penso que posso estar sendo mto permissiva. Atualmente ela não tem dormido a noite toda, acorda gritando e me chamando, fico achando que ela possa estar tendo algum tipo de terror noturno e acabo dormindo com ela num colchão que coloquei na sala pra ela ficar + perto do meu quarto.O fato é que ela acorda sempre que saio e só para de gritar quando volto. Meu marido está ficando cansado dessa situação pois acha que não me posiciono. Não sei mais o que fazer, como agir…me deem uma solução. Aguardo ansiosa.

  66. Marilena responde:
    Explique a sua filha que é hora de dormir, leve-a até o quarto, coloque na cama e saia.
    Quando ela começar a gritar, volte, diga que é hora de dormir e saia do quarto.
    Da segunda vez que ela chamar gritando, entre, não olhe para ela e não fale nada; apenas deite-a na cama e saia. Faça isso quantas vezes for preciso.

    Ela já se acostumou com você por perto e já sabe que se gritar, terá você de volta (eles aprendem rápido…). Esse processo é cansativo, mas é a única maneira de você “descondicionar” sua filha do hábito que ela já adquiriu.

    Se ela está bem de saúde, sem dor de ouvido, calor, fome, etc….não há com que se preocupar.
    Há uma coleção de livros, separados por idade, da Clinica Tavistock (em livrarias) e vc encontrará a idade de 2 anos lá. É uma boa dica.
    COMPREENDENDO SEU FILHO DE 2 ANOS – Editora Imago – Autora: Susan Reid

  67. Olá. Trabalho com crianças e estou a acompalhar um grupo desde os 9meses. Tenho um menino que quando é contrariado morde-se todo e chora muito faz-me muita confusao. Porque ele é meiguinho e tenho receio que comesse a ser agressivo com os coleguinhas… Como ei de lidar com a situação sem ter que por de castigo ou repreende-lo?

  68. Marilena responde:
    Repreender, você vai ter de fazê-lo, porque daqui há pouco ele começará a morder os colegas. Ele precisa saber que isso ele não pode fazer.
    Deixe que ele faça a manha que quiser quando contrariado, porque se não for assim ele sempre vai usar esse método para conseguir o que quer.
    Vire-se de costas para ele mostrando que voce não se preocupa com a manha dele.
    Depois de muitas tentativas, ele acabará fazendo o descondicionamento de manha = consegue o que quer.

  69. Olá… minha filha tem 1 ano e 7 meses. Estou com dificuldade em impedi-la de mexer onde não deve. Ela quer abrir a porta e fechar várias vezes, mudar o canal da TV, eu pego o controle remoto da mão dela, ela puxa de mim e joga no chão, corre pra me morder e chora. Quando quer pegar algo que não pode, eu digo pra ela não pegar porque vai machucá-la ou quebrar e ela joga no chão com agressividade. Ela joga as coisas em mim e me machuca, isso me irrita, fico com vontade de chorar por causa da dor e porque não sei o que fazer. Tirando isso, minha filha é uma boa filha! O que faço?

  70. Marilena responde:
    Quando você diz que “tirando isso” ela é uma boa filha, só posso dizer que sua filha continua uma boa filha. Isso tudo FAZ PARTE do desenvolvimento dela.
    Ela precisa segurar tudo, explorar tudo, copiar o que você faz e o que ela vê os outros fazendo.
    É claro que no entendimento dela, se algo é tirado dela porque machuca, ela não pode entender as conseqüências.
    Aquilo que poderá acontecer, é algo que ainda não está ao alcance do entendimento e desenvolvimento dela.
    É muito cedo ainda.
    O mais adequado seria você retirar da vista dela, aquilo que ela não pode pegar. Coloque os controles fora do alcance dela, sempre em cima de algum móvel.
    É ótimo que ela queira pegar tudo porque isso só significa que ela está tendo um desenvolvimento mais do que saudável e é super normal. Isso não é bom? Esse processo é esperado nas crianças dessa idade.
    Quando ela for pegar algo (que vc não tenha podido esconder) e que vai machucar, diga: “dodói”, “aí” e ela poderá ir assimilando aos poucos, mas muito aos poucos esse processo.
    Crianças nessa idade trabalham com associação. Só esse mecanismo irá ajudá-la.
    No mais, é com vc retirar da sala e da casa tudo o que poderá machucá-la.
    Ajude-a nesse período de exploração e ela lhe agradecerá mais tarde.

  71. Olá, adorei o site que ajuda muito a todas nos mães com várias dúvidas. Gostaria da ajuda de vocês.Tenho uma filha de 1 ano e 10 meses que ainda mama no peito e não consigo tirar, aprendemos a importância da amamentação e como dar de mamar mas não quando e como parar. Já tentei várias vezes, mas quando ela começa a chorar e a implorar eu não resisto e acabo cedendo. Ela é muito carinhosa e fica o tempo todo que está mamando me olhando e me fazendo carinho já que ficou o dia inteiro lonje dela.
    Como posso modificar isso
    ?

  72. Marilena responde:
    Essa situação conflitante não está com sua filha e sim com você, como você mesma relata abaixo : Vc diz que “não resiste” e acaba dando o peito.
    Isso se explica pelo que você, também, escreve logo em seguida; você trabalha e fica muito tempo longe dela. Carinho e atenção não se resumem em dar o peito.

    Nessa idade, ela pode ter a mamadeira. E imagino que o pediatra já tenha falada sobre isso com você.
    Talvez ela rejeite a mamadeira, mas não ficará com fome. Ela saberá que para ter o leite, precisará da mamadeira. O método será o mesmo: colocá-la no colo, abraçá-la, conversar com ela enquanto lhe dá a mamadeira. Se ela não quiser na primeira vez, vai chorar, fazer birra, e você sempre lhe oferecerá a mamadeira.
    Ela precisa dissociar o leite ao peito e associar leite = mamadeira.

    Quem sofrerá mais com isso, será você e não ela (pelo que você escreve) mas só depende de vc esse procedimento.

  73. Trabalho com crianças de 3 e 4 anos Tenho crianças muito agitadas e outras nem tanto. O que poderia trabalhar com eles para que consiga melhorar a concentração dos que são agitados? Algo que prenda a atenção deles, atividades brincadeiras, etc. Como agir com eles.

  74. Marilena responde:
    A pessoa mais indicada para poder lhe ajudar, seria uma psicopedagoga. Ela poderá fornecer dicas e sugestões mais específicas para você.

  75. Olá! . Sou professora de Educação Infantil (Creche). Gostei do site. As perguntas feitas aqui, geralmente, as mães me fazem e lendo-as, juntamente com as respostas, posso tirar as dúvidas dos responsavéis com mais precisão. A teoria nos dá muita base para auxiliar essas mães ou responsáveis. Mas, às vezes, precisamos de alguma coisa mais concreta e rápida.

  76. Maravilhoso site. Vejo que muitos pais andam visitando, sinal que existe muitas dúvidas. Sou diretora de uma escolinha infantil e fico muito frustrada com os diagnósticos um tanto cabulosos que as mães aparecem. Agora está na moda toda criança que é quietinha, demora largar as fraldas, vai mal na escola, chora muito ou qualquer coisa assim, ser diagnosticada como autista… Bem, acho que esses profissionais deveriam analisar melhor antes de um dagnóstico desses. Primeiramente, deveriam diagnosticar os pais como negligentes, que deixam seus filhos de lado e acham que a criança vai se desenvolver sem estímulos e dedicação. Ora, agora, toda criança que está deprimida e se sentindo desmotivada, ou ainda aquelas que são tratadas como bebês e não acompanham as outras são autistas?
    Gostaria muito que você falasse um pouco sobre os sintomas da depressão em crianças e o mal que a ausência/negligência dos pais causa na criança a longo prazo.

  77. Marilena responde:
    Há um post/artigo sobre “Tempo com Filhos” que fala sobre as consequências da ausência da mãe na primeira infancia. Você chegou a ler?
    No entanto, é exatamente isso o que você, também, verifica na escola. Muita falta de informação aos pais e um quase completo desconhecimento sobre as características das crianças.
    Talvez seja necessário mesmo escrever um artigo focando mais nesses aspectos.
    Grata pela colaboração!

  78. Publicamos diretamente aqui, pois a resposta por e-mail retornou por erro no endereço.
    Parabéns pelo site, fiquei muito feliz quando o encontrei. Também preciso de ajuda, quando minha primogênita tinha apenas 6 meses eu engravidei novamente, na época o tanto que chorei quando descobri o meu esposo deu pulos de alegria…eu via a outra tao fragil e necessitada de mim e tive muitos problemas durante a gestação, houve um certo período da gestação que não pude mais pegar Isabel no colo e isso me maltratava e acho que trouxe consequencias p ela. Quando a minha segunda filha nasceu foi recebida com muita alegria,e no momento Isa ficou muito contente com a irmã, mas agora que estão com 4 e 3anos respectivamente estão brigando muito, enquanto a menor está um doce de criança, a mais velha esta mudando o temperamento, ela era muito educada e obediente, mas agora está o inverso, as vezes ouve, porém na maioria das vezes ela não me ouve. Estou ficando muito preocupada, porque ultimamente ela tem ficado desobediente. Houve uma situação em que fiquei sem graça quando estavamos na casa de um parente nosso e ela ficou dizendo que estava com fome e pediu algo para comer, só que antes de sair de casa ela já havia jantado. Por favor me ajude, acho que estou perdendo o controle da situação!!

  79. Marilena responde:
    Não sei se você chegou a ler o artigo “Ciúme entre irmãos” no mesmo blog.

    De qualquer maneira, o ciúme pode aparecer em qualquer momento da vida da criança, principalmente, quando percebe que o irmão recebe mais atenção, etc…

    Sua filha mais nova, como você disse, parece estar numa fase “muito doce” e, naturalmente por isso, deve estar recebendo muitos sorrisos, onde a outra, por ciúme, começa a reagir na defensiva. Como não sabe se expressar ainda devidamente o único comportamento que tem é uma conduta de “revolta”.

    O mais importante seria você separar um tempo somente para a mais velha e depois para a mais nova (separadamente) isso é importante, porque prioriza o tempo com cada uma.

    Veja o que a mais velha gosta de fazer; brinquedos preferidos, livros de estória e separe um tempo para fazer tudo isso com ela.
    Na hora de dormir, a mesma coisa: um tempo na cama da cada uma, conversando e contando estórias.

    Separe também algo que as duas possam fazer junto com você para que ela perceba que a irmã não é apenas uma pessoa que “atrapalha”, mas que também pode colaborar nas brincadeiras.

    Quanto mais atenção e carinho você der para ela (em vez de cobranças e críticas) mais ela se sentirá aceita.

    Como as crianças têm uma capacidade de restauração muito grande, ainda há tempo para você recuperar o afeto que talvez você tenha deixado de dar lá atrás. Ainda há tempo!

  80. Obs.: Estamos respondendo diretamente aqui, pois a resposta por e-mail voltou por erro de endereçamento.
    Marilena responde:
    Você chegou a ler os comentários sobre “Chorando muito” ?
    Você também não me passou detalhes sobre a idade exata de seu filho e em que momentos isso acontece.
    Você já o levou ao pediatra para que ele verificasse a saúde de seu filho? Você o agasalha muito?
    Retorne, por favor, com mais detalhes.

  81. Gostaria de saber o que devo fazer com meu filho de 4 anos… Ele prefere ficar de castigo do que fazer a tarefa da escola… Não sei mais o que faço! Obrigada.

  82. Marilena responde:
    Nessa idade, deixar que a criança sozinha se responsabilize pela tarefa é exigir demais dela.

    Com 4 anos, você deverá ajudar seu filho, nesse momento, e fazer a tarefa juntamente com ele, Somente, bem mais tarde, você poderá deixá-lo sozinho e, assim mesmo, ainda poderá ajudar em algumas matérias que ele tenha maior dificuldade. Isso poderá se extender por muito tempo.

    Sente-se com ele e separe um momento para juntos vocês possam começar com as tarefas escolares. Incentivo e companhia para isso, são essenciais na idade dele e sua companhia é super importante para estimulá-lo.

    Lembrando que o comportamento dele em sentir-se estimulado para qualquer coisa depende incialmente de você, pois nessa idade ele ainda precisa muito de sua atenção e coompanhia.

  83. 27/09/2011 Comentário recebido:
    Obs.: Estamos publicando aqui, pois a resposta enviada por e-mail retornou por erro de endereço.
    EU TENHO UMA FILHA DE 2 ANOS E 7 MESES. A POUCO TEMPO QUE ELA COMEÇOU A FALAR. SÓ FALA POUCO, OS FAMILIARES DO MARIDO FICAM FALANDO NA MINHA CaBEÇA POR Q O PRIMO DELA, 2 MESES MAIS VELHO JÁ FALA TUDO. EU EVITO DE LEVAR ELA NAS TIAS DELA. FICAM CHAMANDO MINHA FILHA DE MUDINHA EU FICO IRADA E A PEDIATRA DELA FALOU QUE ISSO É DELA POR QUE ELA É PREGUIÇOSA. MAIS GRAÇAS A DEUS EU ESTOU ENDENTENDO ALGUMAS COISAS QUE ELA FALA…

    Marilena responde:
    O desenvolvimento do vocabulário varia muito entre crianças e ela ainda terá bastante tempo para se desenvolver.
    Não se preocupe quanto a isso.

  84. tenho uma filha de 2 anos e meio, ela e muito inteligente, so que desde bebezinha so quer ficar comigo, nao posso tomar banho na hora que quero, tenho que esperar ela dormir, nao posso fazer os afazeres domesticos pois ela quer que fico grudada nela o tempo todo, ela odeia quando recebo visita em casa, da escandalos,nao gosta da avo paterna, chora so de falar que vamos visitar a vovo, e agora de 1 mes pra ca nao quer mais sair de casa. o que faço estou muito angustiada

  85. Marilena responde:

    Sua filha tem um comportamento perfeitamente normal para a idade dela.
    Nessa idade, a criança só quer ficar junto da mãe e não gosta, inclusive, dos parentes.
    É a fase da ” interiorização da figura materna” e​,​ portanto​,​ está tudo mais do que normal com ela.
    Sempre que v​ocê​ tiver ​que​ fazer algo em casa​,​ peça ajuda dela,​ ​como segurar alguma coisa ou levar algo p​a​ra v​ocê​.​ ​Ela se sentirá útil e importante.
    Quando for tomar banho, deixe-a perto de v​ocê​ fazendo algo​,​ pois ela precisa olhar v​ocê​ e saber que v​ocê​ está por perto.
    Brinque bastante de esconde​-​esconde com ela, pois é através dessa brincadeira que a criança aprende que a mãe some, mas depois aparece.​ ​Isso ajudará​,​ mais tarde​,​ quando v​ocê​ tiver de sair sem ela.

    Recomendo a leitura dos livros da Coleção Imago (<=link), separada por idade. É muito útil e ajudará você.

  86. Obs.: Publicamos aqui, pois a resposta enviada por e-mail retornou por erro de endereço.
    o meu filho tem 04 anos ,outro dia contou uma estória quando perguntei o tinha acontecido com o nariz dele,que o amigo o empurrou e ele machucou. perguntamos a professora e ela disse que não houve oque ele disse .ele pode estar mentindo ou fantasiando com medo deu chamar a sua atenção com devo comportar com ele obrigada.

  87. Marilena responde:
    Difícil ele estar imaginando.
    É bem provável que isso tenha acontecido mesmo e que a professora nem tenha visto.
    Você fez bem em conversar com ela para que ela fique mais atenta, pois nessa idade, dificilmente, crianças fantasiam entorno de acidentes, brigas, etc….
    Confie no seu filho.

  88. Obs.: Publicamos diretamente aqui, pois a resposta por e-mail retornou por erro de endereço.
    meu filho têm 2 ano e 4 meses e fala pouca coisas, e só quando ele quer, isso é sinal de alguma doença ou distúrbio mental? já levei ao psicologo e ele me disse que meu bebe não é autista, sinceramente estou super preocupada!!

  89. Marilena responde:
    O desenvolvimento da fala varia muito entre crianças e meninas inclusive se desenvolvem mais rapidamente que meninos.
    Seu filho ainda tem muito o que desenvolver e, portanto, você não deve se preocupar. Isso de modo algum se configura ema algum distúrbio.
    Fique tranquila.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s