Esquizofrenia

A esquizofrenia é uma doença que atinge mais ou menos 60 milhões de pessoas e até hoje não sabemos totalmente suas causas.

Sabemos, no entanto, que ela não tem cura e que há uma predisposição genética para seu desenvolvimento ou aparecimento. Por outro lado, verificamos que há famílias onde há uma pessoa com essa doença e um filho, por exemplo, que não desenvolve a doença.

Ou seja, não podemos afirmar que dentro de uma família onde há alguém esquizofrênico, que necessariamente alguma outra pessoa da mesma família também será esquizofrênica. Continuar lendo

Anúncios

Distimia

Oh, céus! Oh, vida!

Muito se fala sobre depressão e já é de diagnóstico fácil e corriqueiro. No entanto, há diversas formas  clínicas de depressão que são desconhecidas pela grande maioria da população e rotuladas automaticamente como Depressão.

A Distimia é um transtorno afetivo de personalidade. É um modo de sentir e perceber a realidade de uma maneira melancólica e negativa. Não há um comprometimento severo na vida profissional e social do indivíduo, mas o estado depressivo é a tônica dessa forma de ser.

São pessoas continuamente tristes, com baixa energia, melancólicas, baixa auto-estima e pessimistas. Acentuam demasiadamente os aspectos negativos da vida enquanto os positivos passam desapercebidos e sem importância. Geralmente, não são considerados e até desvalorizados pela pessoa.

Continuar lendo

Masoquismo

O que será que leva uma pessoa aparentemente estável em suas relações, em sua vida profissional, econômica, etc… alimentar pensamentos ou atitudes que a deixam infeliz?

Parecer infeliz aos olhos dos outros muitas vezes traz seu ganho, colocando-a em destaque…

Sentir-se prejudicada e ao mesmo tempo persistir numa situação que traz infortúnio é difícil de entender.

Continuar lendo

Pânico

“Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor”. (I João 4:18)

“Senti o coração disparado; uma sensação de perda de controle como se eu fosse desmaiar, morrer ou ficar louco!”. Esse é o relato que, normalmente, se ouve de alguém que passou por um ataque de pânico.

Continuar lendo

Hiperatividade

Esse distúrbio também pode ser chamado de transtorno ou desordem de déficit de atenção. Ele pode ser acompanhado de hiperatividade ou não.
A pessoa portadora desse distúrbio tem sérias dificuldades de relacionamento. São pessoas inquietas, distraídas, impulsivas, agitadas e têm dificuldade de terminar os projetos e as tarefas. Aliás, podem se engajar em inúmeras tarefas ao mesmo tempo.

Continuar lendo